Cenas a berbequim eléctrico

Um dos problemas do equipamento desenhado para fins únicos é a dificuldade de reparação ou de substituição quando avaria. Só quem fabrique aquele produto, terá peças de substituição. Se o produto já não estiver em produção, então temos um problema mais complicado…

A indústria das ferramentas é bastante vasta, embora existam poucas marcas conhecidas do público em geral, o certo é que esta é uma indústria cheia de vitalidade e vão surgindo anualmente tanto melhoramentos no desenho base das ferramentas, como novas e inovadoras ferramentas. Uma das coisas interessantes relativamente às ferramentas são os padrões de desenho de certos acessórios, ou de como estes se conjugam com a ferramenta base. Com este princípio em vista, surgem outros acessórios compatíveis e até utilizações para as ferramentas base que não estavam contempladas à partida pelo fabricante.
dpx-systemsresized.jpgEste é o caso com um produto desenvolvido pela empresa DPX Systems e demonstrado na feira de ferramentas americana “The National Hardware Show”, que permite usar (como demonstrado neste vídeo) um berbequim como motor de assistência eléctrica de uma pequena scooter, de uma caixa de ferramentas com rodas ou até de uma cadeira de rodas comum!

Todos os produtos desenvolvidos pela DPX Systems usam o adaptador de berbequim. Estão disponíveis no site deles vários vídeos de demonstração do conceito.

Embora não exista informação sobre o preço do adaptador, vejo um enorme potencial na sua utilização como assistência a uma cadeira de rodas vulgar, já que os modelos motorizados, por motivos de economia de escala, costumam ter preços inacessíveis a quem deles necessita. Como é costume (e espero estar enganado), duvido que isto chegue a Portugal, mas a ideia é fantástica!

A infância interior, sobre rodas

ben2.jpgCostuma dizer-se que a idade mental não tem que corresponder à física, e é fácil encontrar adultos com um espírito muito jovem.
Existe um evento no estado do Colorado nos EUA, denominado ‘Big Wheel Rally‘ que se pode adaptar talvez para ‘Rally do triciclo’ (Big Wheel é um modelo de triciclo de criança da Playskool), que junta um grupo de ‘jovens’ para uma grande corrida, de triciclos a pedais! Este ano o evento tem uma vertente filantrópica e o dinheiro reverterá a favor da fundação de um hospital.

Eis um vídeo sobre o evento em 2006:

Existem mais vídeos e fotos disponíveis! 🙂

4477_m.jpgE porque é de extrema importância ter um ‘Big Wheel’ com bom aspecto, pode sempre modificar-se com acessórios variados para aquele look ‘bling bling’. 😀

Imagens originais de Matt Armbruste e G4 (Attack of The Show)

[Via MAKE:]

Pedalar um KMX dá uma sensação muito próxima da de pedalar um triciclo destes!
Além disso tem as vantagens de ser adaptável ao nosso tamanho (logo é mais confortável e fácil de pedalar), ter mudanças e travões. 🙂 Claro que para os puristas, não há nada como um ‘Big Wheel’ original! 😉

Miralago-Órbita

Mesmo a calhar depois do meu post de 1 de Agosto sobre as bicicletas Órbita e o Vélib ;-):

Miralago e Órbita “pedalam” na Europa
Grupo empresarial aguedense produziu bicicletas para a cidade luz

O grupo empresarial aguedense Miralago-Órbita, produziu milhares de bicicletas que se encontram a circular nas ruas de Paris, no âmbito do denominado projecto Velib, que pretende promover a utilização da bicicleta como forma de mobilidade sustentável, não poluente, ecológica e saudável.

(…)

MODELO INOVADOR

A bicicleta vencedora do concurso lançado pelo município parisiense é um inovador modelo produzido pelo grupo Miralago-Órbita, que se revela pelos componentes utilizados – a maior parte dos quais, como o quadro, fabricados em Águeda -, e por um sistema anti-roubo que torna a bicicleta quase indestrutível.

Para lá dos modelos fabricados para a autarquia parisiense, o grupo Miralago-Órbita vendeu, recentemente, bicicletas para Lyon e para a Áustria. Por ano, só a Miralago, produz 45 mil bicicletas completas, apesar de ter capacidade instalada para quase triplicar esse número.

O grupo empresarial de Águeda vende e instala equipamentos para ginásios, fornece linhas de montagem para o grupo Yamaha e produz componentes para o sector automóvel. No ano passado, a Miralago-Órbita registou um volume de negócios de sete milhões de euros, estimando atingir os 12 milhões durante o ano de 2007.

Pretendendo antecipar-se à introdução das directivas europeias, o grupo empresarial foi pioneiro na introdução de tecnologias amigas do ambiente, como um novo sistema de pintura, onde os solventes são substituídos por água. Em 2010, todas as empresas europeias serão obrigadas a abolir o uso de diluentes e outros solventes.

A Miralago-Órbita é considerada um exemplo, à imagem dos empresários aguedenses, sempre atentos aos mercados mundiais.

[Fonte: Jornal Regional]