Estamos de volta

SPEZI - we're closeFoi muito bom, mas o regresso ao (nosso) mundo real é inevitável. Por um lado é frustrante, por outro deu-nos mais uma injecção de energia para continuarmos a trabalhar na divulgação, educação e promoção das cenas a pedal por terras lusas, para um dia todos podermos usufruir daquilo, daquelas experiências, cultura, estilo de vida, daquele prazer. 😉

A SPEZI teve a sua primeira edição em 1996, contando então com 1 pavilhão, 22 expositores e 1800 visitantes. A do ano passado, 2007, já teve 3 pavilhões, 90 expositores e 8000 visitantes. Aguardamos pelas estatísticas da 13ª edição, a deste ano, 2008. Este evento (dirigido ao público, não é uma feira profissional) surgiu da iniciativa da equipa da loja de bicicletas especiais Haasies Radschlag (localizada no centro de Germersheim, na Alemanha). “Rad Schlag” significa, aparentemente, algo como “pancada das bicicletas”, e adequa-se perfeitamente. 😉

Haasies Rad Schlag - SPEZI organizers' special bike shop Rad Schlag - SPEZI organizers' special bike shop

Esta feira inclui:

Três pavilhões com diversos expositores: fabricantes, importadores, lojas, associações, etc, onde podemos encontrar bicicletas e triciclos para touring, commuting, desporto ou simplesmente lazer, dobráveis e não dobráveis, reclinadas ou convencionais, acessórios, velomobiles, bicicletas e triciclos para pessoas com necessidades especiais, bicicletas para transporte de carga, tandems, informação sobre programas de férias em bicicleta, etc. Por vezes um expositor pode deixar-nos levar um veículo lá para fora para experimentarmos (eu fiz isso com umas duas bicicletas – mas presumo que a facilidade seja mais para “traders” do que para o público geral). Ex.: stand da KMX Karts, já com os novos modelos em exposição:

At the KMX Karts' booth At the KMX Karts' booth

Uma zona de test rides (muito concorrida) no exterior, onde temos 20 minutos (de cada vez, podemos repetir, basta voltar para a fila) para experimentar o que nos apetecer de um grupo vasto de bicicletas, triciclos e tandems “especiais”. As crianças também têm uma zona para test rides só para elas.

Test track Test track

Também no exterior havia vários expositores, uns oficiais (marcas/lojas estabelecidas), outros mais informais, de inventores que usam a feira para apresentar o seu novo produto (por vezes um protótipo) e testar as reacções. Logo ao aproximarmo-nos da entrada da feira passámos por isto:

New contraption for carrying kids and cargo by bike New contraption for carrying kids and cargo by bike

Presumo que a vantagem seja poder levar a criança mais “protegida” e mais perto do chão (baixando o centro de gravidade), mas desconheço o conforto que aquilo poderá oferecer.

Pudémos falar com o Nicolas Abouchaar, que veio do Líbano para apresentar na SPEZI (informalmente) a sua invenção, um triciclo para crianças. A ideia era conceber um triciclo em que os miúdos não tivessem que passar a perna por cima para se montarem nele. Outras vantagens rapidamente descobertas foram o potencial publicitário e o “dar boleias”.

Kid's trike, an invention from Nicolas (Lebanon) Kids quickly come up with unpredicted uses for stuff

Ele prevê ter o triciclo em produção no Verão deste ano, e está à procura de parceiros comerciais, pelo que contactos são bem-vindos (phoenus @ gmx . de).

Esta zona exterior está cheia de bicicletas estacionadas por todo o lado, pertencentes aos visitantes e a alguns dos expositores. Por exemplo, vimos uma Mobiky lá que fiquei a saber que pertence ao dono da ManyBells. 🙂

ManyBells' owner's Mobiky parked outside

Também vimos uma Xtracycle, uma outra longtail de que também já falei num post anterior, a Yuba Mundo, ambas ali em nome dos distribuidores alemães.

An Xtracycle The Yuba Mundo

Também vi este veículo que parece um mix de máquina de step e nordic walking móvel…

I wonder what that is...

Esta área central de livre-acesso é ponto de encontro de interessados e entusiastas que se deslocam à feira com os seus veículos para partilhar experiências, conviver com pessoas com os mesmos interesses and spread the love. :-). Dá para fazermos test rides de muitas cenas a pedal. 😉 Vêem-se coisas mais clássicas no meio de outras mais sofisticadas, como esta Penny Farthing rodeada de velomobiles:

Penny Farthing amongst velomobiles Hmmm...

O Bruno chegou a experimentar um velomobile, embora não exactamente aquele que ele quer para ele. 😉 [Vídeo por editar.]

Bruno checking out a velomobile

No domingo ao início da tarde houve a tradicional corrida de trikes.

Trike race Trike race

Depois o espaço foi ocupado com insufláveis e trampolins para entretenimento dos mais pequenos.

Também houve conferências, mas nós focámo-nos em ver e experimentar o máximo de veículos, e deixar o blá blá blá para segundo plano; há que definir prioridades, after all. 😛

Após a corrida de trikes o Bruno pôde experimentar o KMX Typhoon e o Cobra, ambos equipados com um kit de assistência eléctrica BionX. It took his recumbent grin to a whole new level. 😛

Bruno and Alan talking about the Typhoon with Bionx Bruno preparing for another ride

O Peter Eland, da revista Velovision, também deu uma voltinha, e terminou testando o power do Cobra a subir e descer uns degraus. Aquilo é um camião, pá. 😛

Peter Eland from Velovision preparing to ride the BionXed Cobra up a flight of stairs Peter Eland riding up some steps

Foi uma experiência muito boa para nós, enriquecedora, divertida. Foi bom conhecer pessoalmente e conversar com algumas das pessoas com quem trabalhamos, outras que nos habituámos a “seguir”, como o Peter, outras que não conhecíamos, como o James McGurn, que é o autor de um livro que comprámos na feira, e que ele nos autografou e tudo, e outros… 🙂 Foi mesmo 5 estrelas.

5 thoughts on “Estamos de volta

  1. Pingback: Casa-trabalho-casa em velomobile | Cenas a Pedal, o blog

  2. Pingback: Velo Vision n.º 38 já chegou! « Blog da Cenas a Pedal

  3. Pingback: Recumbent bikes in Portugal! « Blog da Cenas a Pedal

  4. 🙂 Se tiver tempo (e pachorra) ainda blogo mais, sobre a viagem de um modo geral, mas no outro. 😉

    Então, o clone não avançou porquê? os da HPV descobriram o plano? 😛

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *