Seguro duplo: carro + bicicleta

Descobri que a Mapfre, uma seguradora (mecenas do projecto Life Cycle) tem um «produto automóvel MAPFRE-AUTO que, desde o seu lançamento em 2006, conta com uma extensão automática de cobertura de Condução de Velocípedes que garante, até 50.000€, a condução de velocípedes sem motor na via pública, em todo o território português, pelos seus segurados automóvel (sem acréscimo de preço)». Infelizmente, pela info no site não consigo perceber bem o tipo de seguro, se é de Responsabilidade Civil, de Acidentes Pessoais ou de ambos… Poderá eventualmente ser uma alternativa interessante ao seguro associado à anuidade da FPCUB, para os utilizadores de bicicleta que também tenham automóvel. Alguém sabe de outras empresas de seguros com produtos semelhantes?

Projecto Life Cycle na Rádio Renascença

No passado dia 22 de Setembro, Dia Mundial Sem Carros, foi emitida pela Rádio Renascença, ao longo do dia, uma peça sobre o projecto Life Cycle, do qual a Cenas a Pedal é embaixadora e parceira na vertente de formação, que contou com a minha colaboração. 🙂

[audio:http://cenasapedal.com/site/media/content/CycleTraining/LifeCycle/Radio_Renascenca_-_LifeCycle.mp3]

Massa Crítica em Festa!

Na próxima 6ª-feira, 25 de Setembro de 2009, é comemorado o 6º aniversário da Massa Crítica em Portugal, pelo que a celebração é ainda mais forte que o normal. Celebra-se a bicicleta e 6 anos da sua celebração. 😛 A primeira MC não está bem documentada, por acaso, e embora seja aceite este mês como a data da primeira, é provável que ela tenha ocorrido mais cedo, por volta de Maio de 2003. Mas isso é irrelevante, na prática. São 6 anos de qualquer modo. 🙂

festacriticajpg

A Massa Crítica é um passeio mensal pelas ruas da cidade, um ponto e evento de encontro entre ciclistas urbanos. É ao mesmo tempo uma celebração das modos suaves de locomoção e uma forma resgate do espaço público dominado pelos veículos motorizados. Feita de forma tranquila e em pelotão, a Bicicletada permite aos iniciados ganhar confiança na utilização de bicicleta na cidade, ao mesmo tempo que convivem e trocam ideias.

Os participantes reunem-se na última Sexta-Feira de cada mês, no Parque Eduardo XVII, junto ao Marquês de Pombal, pelas 18h. O percurso decide-se em conjunto e a partida dá-se por volta das 18h30.

O movimento, que funciona sem corpo dirigente, teve origem em São Francisco (EUA), e realiza-se hoje em dia em 350 cidades de todo o mundo. Em Portugal, além de Lisboa há Bicicletadas deste formato no Porto, Coimbra e Aveiro.

Em Setembro, mês da mobilidade, a Massa Crítica de Lisboa celebrará o seu 6º Aniversário, dia 25, e esperam-se muitas dezenas de participantes, com diferentes motivações mas unidos na vontade de celebrar a mobilidade suave.

A partida será, como habitual, do Marquês de Pombal pelas 18h30 e, no final, no Centro Cultural Magalhães Lima, junto ao miradouro das Portas do Sol em Alfama, terá lugar a Festa Crítica.

Pelas 21h começará a animação, com música, comida, bebida, exposições e bicicletas. A entrada é grátis e todos estão convidados.

Agora, passem a palavra!, para engordar a MC e a festa!

Debate “Ciclovias e utilização de bicicletas como transporte urbano”

Passamos a divulgar:

A utilização da bicicleta é cada vez mais encarada como uma alternativa de transporte urbano. Silenciosa e amiga do ambiente (e da saúde dos seus utilizadores), a sua utilização nas cidades portuguesas vai crescendo timidamente.

Dia 23 de Setembro, a partir das 21:30, no Clube Literário do Porto (Rua Nova da Alfândega, 22, Porto – à ribeira), a Campo Aberto organiza um debate com os seguintes convidados:

  • Miguel Torres, colaborador do projecto Futuro Sustentável, onde foi proposta uma rede de ciclovias para o Grande Porto;
  • Pedro Serra, do movimento Massa Crítica;
  • João Neves, responsável pelo projecto Civitas, em curso na cidade do Porto.

Utilizadores, simpatizantes e mesmo opositores da utilização da bicicleta em meio urbano, todos ficam convidados a comparecer e a deixar o seu testemunho.

Este debate surge no seguimento de uma conversa que se iniciou online quer no site da Campo Aberto quer no blog “A Baixa do Porto” a propósito da utilização da bicicleta como meio de transporte e dos potenciais conflitos que podem surgir entre peões, ciclistas e automobilistas. O debate insere-se ainda na semana europeia da mobilidade.

Um resultado construtivo desta história, entre outras. Só espero que lá vá alguém defender os direitos dos ciclistas sem ceder à tentação de privilegiar o maior número de ciclistas em detrimento da segurança e da liberdade dos que vão existindo… Torço também para que haja lá representantes dos ciclistas que lembrem que estes tendem a ser mais respeitados quando se dão ao respeito, e que adoptar comportamentos de submissão, reverência, inferioridade e inépcia no trânsito só reforça o tratamento correspondente que recebem…