Ciclobiblioteca

Ciclobiblioteca

Ciclobiblioteca

Descobri acidentalmente que a Ciclobiblioteca já andou por Portugal, mais concretamente, em Vila Nova de Cerveira, aquando da sua Feira do Livro deste ano:

Ciclobiblioteca em VNCerveiraCiclobiblioteca em Portugal
Fotos: Biblioteca Municipal de Vila Nova de Cerveira

Já antes tínhamos aqui divulgado uma iniciativa parecida, a Mobil Bibliocicleta, uma iniciativa lisboeta, mas o projecto da Ciclobiblioteca é um projecto diferente em propósito e em escala. A começar nas próprias bicicletas, neste caso triciclos, próprios para o transporte de passageiros e carga, da Christiania, adaptados para a função de expositores de livros:

triciclo Christiania
Foto: Contos Solidários

A Ciclobiblioteca faz parte dos Contos Solidários, um projecto criado em 2000 pela ONGD galega Bicis pola Paz, monitorizado pelo colectivo de educação ambiental Papaventos e financiado pela Cooperación Galega, que visitou dezenas de escolas com o objectivo de sensibilizar e consciencializar os alunos sobre a necessidade de um compromisso solidário com a justiça e a liberdade, usando como ferramenta lúdico-pedagógica o conto, a poesia, o humor, a mímica…

Contadores de contos
Foto: Biblioteca Municipal de Rianxos

Quatro triciclos carregados com livros sobre o meio ambiente percorrem praças e praias, com as animações educativas dos “Atrapadores de contos”, que contam histórias sobre cuidar da natureza e o compromisso solidário. Com as receitas da iniciativa financia-se a entrega de bicicletas, bici-bibliotecas, mulotecas e bibliotecas em 23 países da América, Ásia e África através da Bicis pola Paz.

Adorei este projecto, pois consegue conjugar duas coisas fantásticas, que adoro: livros e bicicletas, para atingir objectivos nobres: a educação, a paz, o desenvolvimento. 🙂 Excelente!

Infraestruturas para bicicletas: rampas rolantes

O Bruno descobriu isto aqui há tempos, um vídeo sobre um sistema automatizado de estacionamento de bicicletas no Japão. Giro, mas o que me interessou mais foram na verdade as escadas de acesso ao local, com rampas ao lado para descer (largas e com mini-lombas) e com uma rampa rolante do outro lado para ajudar a subir as escadas com a bicicleta.

Sou sensível a isto, já experimentei subir as escadas sobre a estação de comboios de Belém com a bicicleta pela calha mas não consegui porque tinha a bicicleta carregada com coisas para passar um dia a passear e na praia…

Técnicos e políticos deste país, ponham os olhos nisto e gastem dinheiro em coisas destas!