Porque é que não se pode usar as pontes sobre o Tejo a pé ou de bicicleta?

Preço para usar a ponte 25 de Abril para atravessar o rio Tejo, para quem anda de carro (fonte):

  • Norte-Sul: gratuito
  • Sul-Norte: 1.60 € a classe 1

Preço para usar a ponte Vasco da Gama para atravessar o rio Tejo, para quem anda de carro (fonte):

  • Norte-Sul: gratuito
  • Sul-Norte: 2.60 € a classe 1

A Transtejo tem alguns ferries a fazer a ligação Cacilhas-Cais do Sodré que transportam automóveis. O preço é o do bilhete do passageiro + bilhete do veículo: 1.20 € + 4.70 € = 5.90 € (a ponte é mais barata).

Quem anda a pé ou de bicicleta não tem forma de atravessar o rio Tejo de forma livre e autónoma. Está sujeito à disponibilidade e condições dos transportes públicos (horários, greves, lotação, etc).

Para atravessar o rio Tejo, quem se desloca a pé ou de bicicleta tem que pagar desde 1.15 € (para Porto-Brandão-Trafaria) a 2.70 € (para o Montijo), se for de barco – a bicicleta viaja gratuitamente, mas está limitada à lotação definida e não é possível reservar previamente (fonte), ou 1.80 €, se for de comboio – a bicicleta viaja gratuitamente (fonte), ou 1.35 €-1.80 € (pelo menos), se for de autocarro (fonte) – a bicicleta só viaja se for um modelo dobrável!

Resumindo, para ir à outra margem e voltar:

    • de carro pago 1.60 €
    • a pé ou de bicicleta sou forçada a usar e depender das condições, rotas e horários do transporte público e pago de 2.30 € a 5.40 €

Sei que noutros países (embora não tenha fontes para indicar agora) algumas pontes incluem acessos independentes para peões e ciclistas. Ou quando esses não existam, há transportes públicos a fazer a ligação gratuitamente. De outra forma, há aqui uma discriminação negativa do contribuinte que opta por modos activos (dado que as pontes não são financiadas apenas pelas portagens).

Resumindo: quando terão os utilizadores de bicicleta força política suficiente para forçar as autoridades portuguesas a abrir as pontes sobre o Tejo ao tráfego não-motorizado?

A ponte 25 de Abril começou com 2 vias em cada sentido, e agora está com 3.

ponte-teste-carga

Se revertermos ao modelo original, sobra espaço para criar um canal para caminhantes e ciclistas (e é sempre um canal livre para acesso de veículos de emergência…). É só querer:

ponte com canal para modos activos

E se alguém se lembrar de dizer que não pode ser porque o trânsito automóvel já é muito elevado e congestionado, eu digo: exactamente por isso é que deve ser reduzida a oferta. Isso vai ajudar a tornar mais competitivas as alternativas: transportes públicos e modos activos, e a reduzir a entrada de automóveis na cidade de Lisboa, que já sofre o suficiente para os acomodar a todos, seja a circular seja a estacionar…

Ainda não se estão a discutir privilégios para quem opta por modos mais sustentáveis, sem as externalidades negativas associadas aos modos motorizados, estamos apenas a falar, para já, de equidade.

Programa escolar para as próximas semanas

Já amanhã, sábado temos um 3 em 1 dos nossos workshops de mecânica de bicicleta para utilizadores, das 14h às 19h. Para quem quer a coisa em doses mais pequenas e espaçadas, pode fazer os workshops individualmente, a 7, 14 e 21 de Maio, 3ªs-feiras, das 19h às 20h30.

Woman repairing bicycle wheel in repair shop

Maio tem cursos ABC da Bicicleta” para jovens e adultos, a edição aos sábados de manhã, com início dia 4, e duas edições às 4ªs e 6ªs das 19h às 20h30, uma tem início dia 8 e outra dia 22.

Young Woman Riding a Bike

E os mais pequenos têm uma edição “ABC da Bicicleta 5-12” das 9h às 10h ao longo dos quatro sábados de Maio.

Low section of boy (6-7) riding bicycle

Para quem já fez o “ABC da Bicicleta” e só precisa de mais uns treinos acompanhados, há uma sessão de Treino Livre Acompanhado semanal.

Walking and Biking to Work

O curso de Condução de Bicicleta na Cidade tem início também este sábado dia 4 de Maio. São 4 módulos, um de exercícios na bicicleta, outro em sala, e dois em estrada. Serve para pré-principiantes, iniciados e veteranos na ciência do uso da bicicleta para transporte na cidade, para aprender umas coisas novas e para validar outras, e para estimular a análise e a discussão. 😉 [até 3ª-feira dia 30 será publicada no site a informação actualizada pós-reformulação do curso, obrigada pela paciência!]

Woman carrying vegetables on a bicycle, Paris, Ile-de-France, France

E porque o bom tempo significa férias e viagens, temos em Maio dois workshops neste âmbito.

Dia 12 de Maio o Rafael Polónia vem dar o seu workshop “Pedalar para viajar“. Tem, juntamente com a Tanya Ruivo, pelo menos um par de grandes viagens no currículo, daquelas que levam muitos meses e passam por vários países. Um ciclo-viajante à séria!

Macau ao longe!

No fim do mês, a 29 e 30 de Maio, é o Paulo Guerra dos Santos que vem dar um curso de georreferenciação GPS com smartphones, para quem queira saber como tirar partido das funcionalidades do seu smartphone para as suas viagens de bicicleta. O Paulo tem percorrido Portugal de bicicleta e, no processo, produzido uns roteiros de bicicleta.

IMG_0222 (Medium)

Todos os cursos têm ainda vagas disponíveis (até ao momento), mas são limitadas, por isso não adiem a vossa inscrição, tratem disso já! 😉 Informações, datas e reservas, aqui.

Até já!

Cenas a Pedal no Jornal de Negócios

Não liguem ao meu rebaptismo para Ana Fonseca, o importante é o nome da empresa ter saído bem! 😛

Tivemos o nosso “perfil de empreendedor” publicado no Jornal de Negócios de 18 de Abril. Obrigada, Inês Sequeira!

IMGP3498

Aquelas caras estranhas são o nosso melhor look “empreendedor exausto”. 😛

A Economia Verde das Bicicletas Maduras

Na última Feira de Bicicletas Maduras, a 16 de Março, uma equipa da SIC veio cá fazer uma reportagem sobre o evento, que foi depois emitida a 10 de Abril na SIC Notícias. Podem ver aqui a peça:

Muito fixe a exposição. Vamos ver se a próxima feira, a 18 de Maio tem ainda mais participantes e mais coisas à venda/troca! 🙂 Sonhamos um dia poder migrar a feira para o Jardim da Estrela, quando for buéda grande e extravazar aqui o corredor em frente! 😛

O que temos andado a fazer

Os últimos 6 meses têm sido muito trabalhosos, apesar da chuva ter, naturalmente, abrandado o movimento. Isto porque temos investido muito na melhoria dos nossos processos internos e das nossas condições de trabalho:

    • remodelámos e equipámos melhor o atelier: mais e melhor arrumação e exposição

xtracycle-22

    • montámos um lindo telheiro aqui à frente para podermos trabalhar melhor quando chove

IMGP3126

  • temos um novo ecrã & colunas para o nosso projector (o lençol-ecrã foi reformado!)
  • migrámos para um serviço de facturação e gestão de stocks na cloud
  • adoptámos um sistema de reservas online, para os nossos cursos e eventos
  • iniciámos a implementação de alguns protocolos que visam tornar-nos mais eficientes, nomeadamente a nível das encomendas e dos benefícios para clientes

Agora fazemos as encomendas em ciclos de 2 semanas. Podem saber todos os detalhes de como funcionamos, nesta página.

Resolvemos também definir a nossa política de benefícios para clientes, de uma forma clara e objectiva. Podem saber quais as vantagens de comprar na Cenas a Pedal consultando esta página.

Estamos ainda, finalmente, a preparar duas coisas que já temos comentado com várias pessoas no último ano, mas que faltava começar a concretizar. Uma é o Clube de Chiclistas, e outra é o programa CaPioneiros, duas coisas que vão justamente ao encontro da nossa essência, daquilo que nos move. Vamos ver se em Maio estão ambos já a funcionar!

Entretanto estamos a procurar re-focarmo-nos a nível daquilo que fazemos e como o fazemos, algo fundamental para conseguirmos lidar com sucesso com os desafios colocados por estes tempos que correm, e o nosso novo horário de atendimento reflecte justamente isso. A seu tempo o nosso site também reflectirá essas mudanças. Muito trabalho ainda pela frente. Mas vamos dando notícias. 🙂