KMX: parte kart, parte BMX

Ainda não fiz a devida apresentação do nosso mais recente veículo a pedal, os KMX Karts. Pois aqui vai.

O lançamento oficial dos karts foi também feito na Expo Evasão, onde muita gente teve oportunidade de os experimentar e fazer um test drive. Miúdos e graúdos, júniores e séniores, homens e mulheres. O denominador comum foi a aprovação da máquina e um grin difícil de evitar. 😉

Além da variedade de possíveis utilizadores, os KMX são também polivalentes em termos de uso. Quer seja para fazer acrobacias e ir curtir para os skate parks e afins, ou para andar a relaxar em passeios na ciclovia, no parque, junto ao mar ou no meio do verde, ou ainda para ir acelerar nas terras, dá para tudo. 😉

fotos_kmx_smallest.jpg

Os KMX Karts vêm em 3 modelos, o K é para crianças dos 6 aos 14 anos, o ST e o X para adultos.

kmx_karts.jpg

O ST é uma versão mais simples e acessível (€€) do kart de adulto, X.

A grande vantagem que a KMX Karts Ltd oferece com estes karts, híbridos entre karts a pedal e bicicletas BMX, é conseguir captar mais público para este tipo de veículo. Os triciclos reclinados (recumbents) são máquinas fantásticas, mas geralmente o seu custo é proibitivo para a maioria dos consumidores, geralmente os preços são sempre de 2000-2500 € para cima… Já estes karts são muito mais acessíveis. A ideia é, então, conseguir que mais pessoas, e nomeadamente crianças, tenham a oportunidade de usufruir deste tipo de veículos, incentivar a prática de actividades ao ar livre e activas, lançar um novo desporto.

Os KMX Karts são produtos robustos, adequando-se perfeitamente a actividades de aluguer, por exemplo. O seu baixo centro de gravidade torna-os seguros de usar e especialmente divertidos nas curvas. Eu pessoalmente curto bué as derrapagens, eheheh! 😉

O nosso site renovado está quase pronto a ser publicado, mas entretanto podem ir consultando o site oficial da marca.

Polícia de NY tenta enfraquecer a Massa Crítica

A polícia de Nova Iorque, nos EUA, declarou qualquer ajuntamento de mais de 50 pessoas uma “procissão” ou desfile, ameaçando prender participantes da Massa Crítica de ontem se estes não tivessem uma licença/autorização.

A MC tem sido alvo da polícia anteriormente, especialmente durante a Convenção Nacional do Partido Republicano em 2004.

Mais aqui e aqui.

Estas imposições são inconstitucionais, arbitrárias e um atentado às liberdades civis. Mas continuam a acontecer. Recomendo a visualização do filme “Still We Ride“.

Bicing

O Miguel, do Menos1Carro descobriu uma boa notícia dos nuestros hermanos.

bicing.jpg

O Bicing, a começar com 200 bicis em 15 estações, com o objectivo de chegar às 3000 em 100 estações no final de 2007, é um serviço de empréstimo de bicicletas. O público alvo são os residentes de Barcelona, para os incentivar a usá-las em pequenas deslocações na cidade, deixando o carro na garagem. Os turistas continuarão a ter as bicicletas de aluguer dos operadores turísticos. O target são, assim, as viagens utilitárias e não as de ócio.

bicis2.bmp

O serviço de membership custa 24 €/ano (6 € até 1 de Julho!) ou 1 €/semana, e dá direito a um cartão que serve para levantar e depositar as bicicletas (por isso não é um serviço de aluguer mas sim de transporte público, os cartões são como o passe social). A primeira meia hora de cada utilização está incluída na anuidade. Períodos extra até ao máximo total permitido de 2 horas são cobrados a 0,30 € / 30 minutos.

Já há queixas, no entanto, por parte das empresas de aluguer por causa dos preços tão reduzidos, da colocação de estações em locais turísticos e da concorrência desleal deste sistema público. Sou totalmente a favor desta iniciativa, mas acho que os interesses dos operadores privados também têm que entrar na equação, tentando alcançar um compromisso que seja vantajoso para o público mas que não mate o ganha-pão de sectores de actividade inteiros.

O design das bicicletas é único, para desencorajar o roubo, e terão 3 mudanças, selim regulável em altura e luzes que se ligam automaticamente ao anoitecer (cool!). Uma “visita guiada” às specs destas estas bikes aqui:

O operador, que detém a exploração e os direitos de publicidade do Bicing pelos próximos 10 anos, é a Clear Channel, através do projecto SmartBike, em funcionamento noutras cidades europeias tais como Oslo, Estocolmo e Lyon.

Fonte: Barcelona Yellow

Um vídeo aqui, associado a esta notícia.

Outro vídeo de uma reportagem da TVE aqui:

E para quando um “Mover-se de Bicicleta por Lisboa“?… 😉

A.C. e D.C.: antes dos carros e depois dos carros

Este vídeo do TransporteAtivo diz tudo. Mostra tudo. Dá para perceber, para sentir o que está errado nas nossas cidades, nas nossas ruas suburbanas. O silêncio, a paz, a segurança e tranquilidade, a socialização das pessoas, o usufruto da rua, do espaço exterior, público, dá lugar em poucos instantes, ao ruído, ao stress, ao risco, ao fumo, ao bloqueio do livre fluxo das pessoas no exterior.

Esta iniciativa no Rio de Janeiro, que aos domingos e feriados interdita o trânsito motorizado em algumas ruas, era uma excelente ideia para importar para Portugal. Talvez se as pessoas tiverem a oportunidade de experimentar a vida e a rua sem carros lhe ganhem o gosto e fiquem mais permeáveis e receptivas a medidas em prol de um urbanismo mais humano e de opções de mobilidade alternativas e mais sustentáveis.

O acordar motorizado dos gigantes chinês e indiano

Para pensar…

«Be worried. If you have given even a moment’s thought to climate warming and its potential impact on our planet, be very worried. China, a nation of 1.3 billion people, has abandoned the bicycle as a principal mode of transportation and is now moving at a frightening pace to a car-based economy.»

«So be worried. It’s really the only option. And if 1.3 billion car users do not scare you, remember that Indians, who number a mere 1.2 billion, are close behind. Our Western ethos and lifestyle has triumphed, all right.»

Artigo completo aqui.