Categorias
Lifestyle e Cultura Mobilidade

A bicicleta na boca do mundo?

Nos últimos 15-20 dias gravei 2 entrevistas vídeo e fui entrevistada via telefone 2 vezes (uma das quais acompanhada depois por sessão fotográfica). A mobilidade em bicicleta está na televisão, na rádio, nas revistas e nos jornais. Perguntam-me sempre se Lisboa é ciclável, se há muitos ciclistas, se há cada vez mais, etc. Por curiosidade, fui ao Google trends e aqui se mostra o aumento da frequência da pesquisa por “bicicleta” em Lisboa, nos últimos anos:

Este gráfico dá uma indicação clara de que 2008 foi um ano de viragem, o interesse na bicicleta aumentou significativamente nesse ano, e tem vindo a aumentar progressivamente até hoje. Claro que aqui entra tudo o que é “bicicleta” e não apenas o seu uso para transporte utilitário ou recreativo. As pesquisas por “BTT” mostram também um aumento (e são 9 vezes mais frequentes que por “bicicleta”). Mas seja por que motivo for, há cada vez mais interesse na bicicleta e isso é bom. 🙂

Tenho a ideia de que as aparições de artigos, reportagens e afins sobre ou envolvendo o uso da bicicleta como transporte são cada vez mais comuns, mas pode ser aquele efeito, quando começamos a prestar particular atenção a determinada coisa, vemo-la em todo o lado. ;-P Para mim isso começou no início de 2005, e realmente posso dizer que desde 2008 que me parece que os ciclistas e a mobilidade em bicicleta começaram a ganhar mais visibilidade.

Hoje já me acontece com alguma frequência esperar num semáforo com outro ciclista ao lado, ou ultrapassar ou ser ultrapassada por um ciclista. Vejo vários ciclistas a passar para cima e para baixo aqui na Av. de Álvares Cabral durante a semana. E não faço ideia de quem sejam. 🙂

A dominação mundial está perto.

Por Ana Pereira

Instrutora de condução, formadora em segurança rodoviária, e consultora em mobilidade & transporte em bicicleta. Bicycle Mayor of Lisbon 2019-2020.

2 comentários a “A bicicleta na boca do mundo?”

Concordo que a visibilidade da bicicleta como meio de transporte aumentou bastante nestes últimos anos. Creio que se pode dividir em 3 fases:

Pré-2000 – ando em Lisboa desde 1991, e durante os anos 90, simplesmente não me cruzava com ninguém, a não ser gente a caminho de Monsanto ou do Estádio Nacional para ir fazer BTT.

Pós-2000 até 2007/8 – começou a ver-se uma pessoa aqui, outra ali… foi crescendo, mas de um modo lento. A visibilidade nos meios de comunicação começou a ser alguma, talvez consequência das primeiras ciclovias que foram aparecendo (e não só).

De 2008 até aos dias de hoje – aqui sim, tem sido notório o aumento substâncial de ciclistas na cidade. Como referes, já são uma constante. Nos meios de comunicação, a cobertura a este assunto é manifestamente maior – infelizmente em muitos casos, com fraca qualidade, e de tom condescendente.

Uma consequência disto, traduz-se no modo como os automobilistas se comportam face às bicicletas. Para todos os que acham que actualmente os condutores de automóvel são pouco simpáticos para quem anda de bicicleta, certamente nunca andou na cidade nos anos 90. Aí sim, era uma adrenalina permanente: razias intencionais, insultos e buzinadelas constantes, enfim… era muito mau. Com o passar dos anos, as coisas mudaram, e realmente foi a partir de 2000 (mais coisa menos coisa) que comecei a notar uma alteração nos comportamentos – é certo que também passou a haver uma maior consciencialização dos condutores, em relação à sinistralidade rodoviária em geral, e isso contribuiu para a melhoria…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.