A greve é uma cena que a mim não me assiste

A greve é uma cena que a mim não me assiste. Eu ando de bicicleta. 🙂

(ver final da peça abaixo)

Para espalhar esta palavra, este ano voltámos a participar em vários eventos relacionados com a Semana Europeia da Mobilidade que, para quem não sabe:

Esta é uma efeméride que deveria servir para sensibilizar a população, os cidadãos, as empresas, as entidades públicas, para diversificarem e alargarem as suas soluções de mobilidade, rumo a cidades mais sustentáveis, redes de transporte público mais eficazes, e infraestruturas rodoviárias mais eficientes. Infelizmente, a nível nacional, o investimento neste esforço tem vindo a decrescer, a SEM é muitas vezes preenchida com coisas para “encher chouriços“, e a bicicleta é frequentemente introduzida mas na vertente desportiva (com muitos passeios tipo BTT), misturando alhos com bugalhos (desporto com transporte)… E as “medidas permanentes” são muitas vezes coisas banais e da normal competência das autarquias (fazer passeios, passadeiras, rampas, etc), em vez de medidas além do que é esperado. Um efeito perverso da SEM é que as câmaras municipais, operadores de transportes públicos, etc, que implementam poucas e curtas medidas pró-mobilidade sustentável, ainda as guardam todas para lançar só nesta altura do ano. A propósito, o IMTT lançou este ano o tal Pacote da Mobilidade.

Gostei da iniciativa de Castelo Branco de fazer um “Walk to School Day“. Esta é, de resto, uma cidade onde é fácil andar a pé e de bicicleta…

Nós estivemos a divulgar outras formas de mobilidade & recreio em Oliveira de Azeméis, com um Laboratório de Cenas a Pedal:

Laboratório de Cenas a Pedal @ SEM 2011 Oliveira de Azeméis

É um laboratório porque a ideia é a malta experimentar cenas. 🙂

Estivemos mais uma vez no Marginal Sem Carros, em Oeiras, a expôr algumas “Cenas a Pedal” às massas e a prestar assistência técnica com o Bicycle Repair Man.

IMGP7274.JPG

Em Lisboa, participámos também na segunda edição do Verde Movimento Alfacinha, no dia dedicado à mobilidade sustentável (vejam o vídeo aqui – a minha T-shirt assentou que nem uma luva, eheheh). Estivémos lá com mais um Laboratório de Cenas a Pedal.

Laboratório de Cenas a Pedal @ Verde Movimento

E, em simultâneo, a dar dois mini-workshops de mecânica de bicicletas na óptica do utilizador.

Mini-workshop de mecânica na óptica do utilizador: furos & Cia Mini-workshop de mecânica na óptica do utilizador: travões e mudanças

E fomos ainda a Évora dar uma palestra motivacional / educacional para o uso da bicicleta como meio de transporte.

Palestra "Usar a bicicleta como meio de transporte" em Évora

Acreditamos que estas pequenas intervenções vão contribuindo, à sua escala, para a mudança cultural necessária para as pessoas deixarem de considerar o automóvel particular a primeira e até única opção de transporte para todas as suas necessidades de mobilidade (dos 100 m aos 1000 Km), mas gostávamos de poder fazer mais, e gostávamos de ver mais empenho político por parte das 308 autarquias do país e mesmo das 63 que, dentro destas, ainda vão aderindo à Semana Europeia da Mobilidade. Cenários de greve dos transportes públicos e consequente caos [mais] infernal [do que o costume] na circulação rodoviária mostra bem a importância de esse empenho político chegar rapidamente e em peso…

2 comentários a “A greve é uma cena que a mim não me assiste

  1. Isto da Semana Sem Carros já deu o que tinha a dar.
    Este programa sempre foi mal visto por quem anda na estrada.
    No inicio “fechavam-se” ruas/avenidas principais criando entraves aos veículos automóveis, criando mal estar entre os utilizadores habituais dessas vias. Agora “fecham-se” ruas/avenidas mais secundárias, com alguns programas, mas não é isto que melhora a mobilidade das pessoas.
    Alias neste momento o governo cria mais dificuldades à mobilidade, outra cortando transportes ora diminuindo oferta a nivel de horários.
    Eu sou um utilizador da bicicleta que faz o precurso casa-trabalho e uso um transporte publico para o efeito que é a Transtejo na ligação Trafaria-Belem. Acontece que em Agosto aumentaram o passe e diminuiram a oferta para metade, isto é, passamos a ter metade dos barcos. Agora falam em fechar a ligação!!!
    E depois? Depois terei que fazer a ligação da Sobreda para Carnaxide de automóvel…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *