Hoje é dia de Bicicletada!

Peguem na bicicleta ou no triciclo (ou nos patins, skate, patinete, etc), e engrossem a Massa (Crítica). 🙂 Pelo convívio, pelo passeio, e pelo ciclo-activismo de dar mais visibilidade a estas opções de mobilidade e a quem as adopta. 🙂

Logo às 18h, no Marquês de Pombal, cá em baixo no início do relvado do Parque Eduardo VII!

Para saber o que é a MC, e o que fazer e o que não fazer para a tornar a melhor experiência possível, leia e divulgue este guia.

Está um belo dia para uma Massa Crítica! E amanhã…

A de Setembro (aniversário) andou pelos 400 participantes, a de Outubro pelos quase 300 – e passaram aqui à nossa porta a caminho do Jardim da Estrela! 🙂

Como será hoje? Apareçam e levem amigos novos para experimentarem andar de bicicleta pelas ruas de Lisboa. Mas antes dêem-lhes isto a ler, por favor!

E amanhã, há Feira de Bicicletas Maduras à tarde aqui frente ao estaminé! Outra presença confirmada entretanto é uma bicicleta/triciclo de aprendizagem 3 em 1 Wishbone! 🙂

Amanhã deixe o carro em casa e vá de bicicleta

E ao fim do dia junte-se à Massa Crítica! 🙂

Não sabe o que é a MC? Não deixe de ler este artigo, então!

Massa Crítica Lx de Setembro

Faz frio! Isso é óptimo para pedalar. 🙂 Desde que saiba escolher a indumentária: umas boas luvas, um gorro, cachecol ou o que seja para proteger o pescoço, o rosto (até ao nariz), as orelhas e a testa, uns óculos para não chorar nas descidas, com o vento frio, e roupa em camadas (as meias também!). Pode chover, afinal, estamos em Janeiro. “À prova de água”, “à prova de vento”, “respirável” são tudo coisas boas de ler nos rótulos da roupa e vestuário nestes casos. Um bom casaco com capuz, resistente à água, é o suficiente para a maior parte das situações (às vezes esperar 5 minutos resolve, e a roupa ligeiramente molhada seca rapidamente quando chegamos ao destino – até pelo calor dissipado).

Luzes são fundamentais! Não saia sem uma luz branca contínua decente à frente e um bom reflector vermelho atrás – isto é o mínimo para salvaguardar a sua segurança. A lei exige ainda um reflector dianteiro e reflectores laterais, e uma luz traseira. Opte por boas luzes contínuas, evite andar com luzes fortes a piscar: são geralmente desnecessárias, incomodam os outros utentes das vias públicas, dificultam a avaliação da sua velocidade e localização, e podem até colocá-lo em perigo acrescido ao despoletar convulsões em condutores a isso propensos ou simplesmente ao exercer o efeito algo hipnótico que é conhecido por levar as pessoas de encontro a luzes fortes intermitentes.

Sabia que pode conjugar a bicicleta com os transportes públicos e até com o automóvel? Para isto uma bicicleta dobrável é o ideal, mas pode fazê-lo mesmo com uma bicicleta mais convencional.

Se a perspectiva de voltar para casa sozinho(a) à noite o desmotiva, experimente convidar um amigo, ou combinar companhia para o regresso na lista de e-mail da Bicicletada (a de Lisboa é esta) ou durante a mesma. E pode sempre preparar-se melhor para pedalar na cidade inscrevendo-se num curso de condução.

Se está em Lisboa, apareça na Praça do Marquês de Pombal às 18h de amanhã (é sempre na última 6ª-feira de cada mês), para a saída às 18h30. As Bicicletadas costumam durar 1h30min a 2h, dependendo da hora de arranque e do percurso, que é decidido na hora, por quem estiver presente.