Agora também passeios & microviagens

É isso mesmo, desde Outubro deste ano que promovemos passeios de bicicleta semanais. A ideia é haver mensalmente um mix de passeios e microviagens para diferentes públicos.

Estão pensados para servir primeiro e fundamentalmente os principiantes e as famílias com crianças, mas não nos ficamos por aqui (até porque não se fica principiante para sempre!).

Queremos passeios para conhecer a cidade, para ligar bocados que nunca ligámos, para conhecer e conviver com outros adeptos da mobilidade em bicicleta, e queremos sair da cidade, explorar o resto do país, que tem tantos sítios bonitos por onde pedalar. 🙂

Vamos conhecer parques e jardins, ciclovias e ecovias, novas rotas, e pontos interessantes (desde miradouros, museus, lojas, cafés e restaurantes, exposições, galerias, etc, etc). 

Não são passeios desportivos, são passeios turísticos / culturais! Não é preciso roupa diferente da casual do dia-a-dia, nem equipamento especial nem bicicletas racing. E por ser em grupo, acomodam pessoas com níveis de experiência e habilidade na bicicleta abaixo do que seria recomendado se fossem sozinhas. São uma espécie de Massa Crítica mas sem a carga política e activista.

E para lançar a ideia e ensaiar o modelo, até Março de 2017 os passeios são de acesso gratuito, e abertos mesmo a não membros da Escola de Bicicleta da Cenas a Pedal, basta registar-se na página de cada um (para permitir comunicar o que for preciso!). É de aproveitar! 🙂

Como saber que passeios vamos ter em cada mês? O mais simples é subscrever a nossa nova newsletter, claro. Esta newsletter tem uma regularidade mensal e serve para divulgar eventos, promoções e novidades variadas, avisar de alterações de horários ou moradas, e partilhar a agenda de eventos da Escola de Bicicleta (passeios, workshops, etc).




 

Se o email não é a sua praia, basta ir prestando muita atenção à nossa página no Eventbrite ou no Facebook

Já agora, não perca o último passeio de 2016, previsto para o próximo domingo dia 18, em que vamos pedalar no meio da natureza entre Alverca e a Póvoa! Registe-se, e depois faça figas connosco para que esteja novamente um lindo dia de sol. Esperamos por si! 🙂

Levar crianças na bicicleta: bicicletas-atrelado

Este artigo faz parte de uma série sobre as “10 soluções para levar crianças na bicicleta“. Outros textos desta série:

Numa bicicleta convencional podemos transportar uma ou duas crianças atrás de nós, e atrás da nossa bicicleta, recorrendo a semi-bicicletas atreladas (conhecidas por bicicletas-atrelado, trailer-bikes e tag-along’s), próprias para crianças, cujos Prós & Contras (face às outras opções aqui listadas) passarei a descrever de seguida.

Este artigo é um excerto e adaptação disto.

2.3. BICICLETAS-ATRELADO| 2 aos 9 anos, máx. 36 Kg | 1 a 2 crianças

As bicicletas-atrelado permitem transportar 1 a 2 crianças dos 2 aos 9 anos de idade, máx. 36 Kg, e os preços [dos nossos modelos] começam nos 300 €.

17-Captura de ecrã total 16062015 1739152

Esta solução é efectivamente um tandem articulado facilmente dobrável ou desmontável em que a criança pode pedalar (de forma independente do pai ou mãe) e ajudar, ou deixar-se ir à boleia quando está cansada.

PRÓS

  • permite transportar crianças dos 4 (2, no caso do Weehoo) aos 10 anos (máx. 32 Kg – 36 Kg no caso do Weehoo)
  • um dos modelos permite transportar 2 crianças
  • a criança não é um passageiro passivo, exercita-se, e contribui para o esforço de locomoção do conjunto
  • é mais fácil para a criança montar e desmontar da bicicleta e o peso dela fica mais baixo do que num tandem convencional
  • este sistema permite à criança “andar de bicicleta” por todo o lado, com os pais, sem preocupações com a sua maturidade para lidar com o ambiente rodoviário e o trânsito automóvel
  • se a criança estiver cansada pode não pedalar, e se pedalar pode usar as mudanças de forma independente do adulto
  • a bicicleta-atrelado pode ser facilmente desengatada e guardada
  • podem usar-se alforges no porta-abagagem traseiro da bicicleta rebocadora (e também na bicicleta-atrelado)
  • o modelo da Roland permite ainda usar um cesto ou uma cadeira de criança no porta-bagagem da bicicleta rebocadora
  • é possível também engatar um atrelado de crianças ou bagagem, à roda de alguns modelos de bicicleta-atrelado, aumentando a capacidade de transporte de todo o conjunto (ver este exemplo)
  • é fácil “dobrar” o conjunto, arrumando ambas as bicicletas lado-a-lado, o que simplifica estacioná-las e prendê-las em parques de estacionamento para bicicletas
  • um dos modelos tem suspensão, para maior conforto das crianças em percursos fora de estrada
  • pelo nosso Código da Estrada, é permitido circular de bicicleta com um atrelado destes nas ciclovias (pistas para velocípedes), uma vez que a largura dos mesmos não excede 1 m

CONTRAS

  • a(s) criança(s) seguem algo afastadas do condutor, sendo difícil supervisioná-las sem recorrer a um espelho retrovisor
  • comunicar eficazmente com as crianças é mais difícil que numa cadeira – estão mais afastadas, mas mais fácil que num atrelado de passageiros – estão mais próximas, elevadas e descobertas
  • a bicicleta torna-se um veículo articulado, mais longo, e é fácil oscilar com os movimentos da criança -afecta a manobrabilidade
  • investimento elevado
  • pelo nosso Código da Estrada, conduzir à mão uma bicicleta com um atrelado destes não é equiparado ao trânsito de peões, ao contrário de uma bicicleta sem atrelado
  • não dá para desengatar o atrelado e a criança andar de forma independente (a não ser, no caso dos modelos da Burley / Tout Terrain, que se compre o kit que torna o atrelado numa bicicleta normal – PVP 210 € / 500 €)

Uma alternativa às bicicletas-atrelado é o kit abaixo:

2.3.1. FollowMe Tandem | 3 aos 9 anos, máx. 35 Kg

Este kit serve para permitir a uma bicicleta de adulto (rodas 26″ a 29″) rebocar uma bicicleta de criança (rodas 12″ a 20″), transformando o conjunto num tandem articulado, desmontável. Dá para crianças dos 3 aos 9 anos (45 Kg máx. de bicicleta + criança).

18-Captura de ecrã total 16062015 1739182

 

PRÓS

Genericamente, os mesmos das bicicletas-atrelado. Mas:

  • quando as condições são favoráveis, a criança pode andar sozinha, de forma independente, na sua bicicleta, bastando desengatá-la do kit
  • pode ser facilmente conjugado com alforges, cadeiras traseiras ou cestos na bicicleta rebocadora
  • pode ser usado com diferentes bicicletas de criança, de diferentes tamanhos e tipos
  • investimento relativamente baixo

CONTRAS

Genericamente, os mesmos das bicicletas-atrelado. Mas:

  • kit é relativamente pesado, adiciona mais de 4 Kg à bicicleta rebocadora
  • ao passar por pequenos lancis ou rampas, o kit pode raspar no chão

É importante averiguar o melhor possível, previamente, a compatibilidade de instalação e – muito importante – de uso de qualquer uma destas opções, com o trinómio bicicleta + condutor + contexto, pois isso determinará quão segura, prática e confortável será a solução adoptada.

Levar crianças na bicicleta: atrelados de passageiros

Este artigo faz parte de uma série sobre as “10 soluções para levar crianças na bicicleta“. Outros textos desta série:

Numa bicicleta convencional podemos transportar uma ou duas crianças atrás de nós, e atrás da nossa bicicleta, recorrendo a atrelados próprios para crianças, cujos Prós & Contras (face às outras opções aqui listadas) passarei a descrever de seguida.

Este artigo é um excerto e adaptação disto.

2.2. ATRELADOS DE PASSAGEIROS| 1 mês aos 6 anos, máx. 45 Kg | 1 a 2 crianças

Estes atrelados servem para transportar crianças desde as 4 semanas de idade (com acessórios próprios) até aos 5-6 anos (suportam entre 30 Kg e 45 Kg de carga máxima, dependendo do modelo). [Os nossos modelos] começam nos 420 €.

Há atrelados para 1 ou 2 crianças, com kits de conversão para jogging, carrinho-de-bebé e outras actividades, com suspensão, com 2 rodas e com 1 roda, etc.

11-Captura de ecrã total 16062015 173907

PRÓS

  • podem ser usados com qualquer bicicleta
  • facilmente se mudam de uma bicicleta para outra (desde que tenham ambas o engate próprio)
  • [alguns modelos] trazem incluídos ou têm como opções extra kits adicionais para os converter em carrinhos de passeio, de jogging, para esquiar, etc, tornando-os bastante multifuncionais
  • dobram-se para facilitar a arrumação e o transporte
  • dão para os primeiros 5-6 anos da criança, e desde o 2º mês de vida (alguns modelos, com acessórios próprios)
  • boa capacidade de carga (crianças & bagagem) – até 45 Kg (25 Kg no caso do Singletrailer)
  • quando não está a transportar crianças, pode ser usado para transportar carga (alguns até rebatem os assentos para isto)
  • protegem as crianças dos elementos – alguns são impermeáveis ou têm capotas como acessório
  • permitem às crianças dormir confortavelmente
  • não afectam o equilíbrio e direcção da bicicleta
  • se a bicicleta tombar, o atrelado mantém-se de pé (excepto no caso do Singletrailer)
  • os atrelados de boa qualidade têm uma “rolling cage”, ou seja, uma estrutura tipo gaiola que protege os passageiros em caso de colisão, ou capotamento do atrelado
  • permitem à criança manter ao pé de si comida, bebida, brinquedos, etc
  • alguns modelos têm 2 lugares, permitindo transportar 2 crianças, que podem conversar e brincar
  • oferecem capacidade de carga adicional
  • são estáveis e permitem colocar e retirar com facilidade as crianças do seu interior
  • dado o seu volume, aumentam a visibilidade do conjunto na estrada e facilitam a ocupação da via de trânsito
  • alguns modelos têm suspensão, para maior conforto das crianças

CONTRAS

  • mesmo dobrados, são pesados e volumosos
  • a(s) criança(s) seguem algo afastadas do condutor, sendo difícil supervisioná-las
  • não é possível manter uma conversa ou comunicar eficazmente com as crianças
  • estão mais expostas à projecção de água e detritos da roda traseira da bicicleta rebocadora
  • alguns modelos têm pouca ventilação, o que os torna abafados em tempo quente
  • a bicicleta torna-se um veículo articulado, mais longo e mais largo, o que afecta a sua manobrabilidade
  • investimento elevado
  • alguns modelos têm 2 lugares, permitindo transportar 2 crianças, que podem começar às turras (e o condutor nem sempre se apercebe logo / não pode intervir facilmente
  • aumenta drasticamente o atrito da bicicleta, aerodinâmico e de rolamento (2 rodas adicionais) – pode ser inviável para algumas combinações de percurso, bicicleta & condutor
  • pelo nosso Código da Estrada, conduzir à mão uma bicicleta com um atrelado destes não é equiparado ao trânsito de peões, ao contrário de uma bicicleta sem atrelado
  • pelo nosso Código da Estrada, é proibido circular de bicicleta com um atrelado destes nas ciclovias (pistas para velocípedes), salvo se a largura dos mesmos não exceder 1 m – mas muitos excedem…

É importante averiguar o melhor possível, previamente, a compatibilidade de instalação e – muito importante – de uso de uma destas opções, com o trinómio bicicleta + condutor + contexto, pois isso determinará quão segura, prática e confortável será a solução adoptada.

Levar crianças na bicicleta: cadeiras e assentos atrás

Este artigo faz parte de uma série sobre as “10 soluções para levar crianças na bicicleta“. Outros textos desta série:

Numa bicicleta convencional podemos transportar uma criança atrás de nós, recorrendo a cadeiras e assentos próprios, cujos Prós & Contras (face às outras opções aqui listadas) passarei a descrever de seguida.

Este artigo é um excerto e adaptação disto.

2. CRIANÇA ATRÁS

2.1. CADEIRAS

As cadeiras traseiras ficam atrás do selim do condutor da bicicleta, e fixam-se ou ao quadro ou ao porta-bagagem traseiro (com ou sem adaptador). Dão para crianças dos 4 meses aos 10 anos, máx. 35 Kg, e [os nossos modelos] começam nos 45 €.

2.1.1. Suporte para cadeira 0/0+ (“ovo”) | desde os 4 meses, máx. 13 Kg

Suporte para cadeiras portáteis para transporte em automóvel, até aos 10-13 Kg. Requerem um porta-bagagem com capacidade máxima de 25 Kg ou superior. Para crianças a partir dos 4 meses de idade.

15-Captura de ecrã total 16062015 1738052

PRÓS

  • permite transportar bebés a partir dos 4 meses de idade
  • usa cadeiras multifunções: servem na bicicleta, no carro e em casa
  • baixo custo
  • criança pode viajar protegida do sol (acessórios do ‘ovo’
  • a bicicleta mantém a sua largura e comprimento normais

CONTRAS

  • não é suficientemente seguro de usar com qualquer bicicleta, e em qualquer contexto – atenção às vibrações e safanões transmitidos ao bebé
  • o peso alto afecta sempre um pouco o equilíbrio na bicicleta e a condução e manuseamento desta
  • só serve um período curto da vida da criança (cerca de 2 anos)
  • se a bicicleta cair, a criança [presa ao ovo] cai também
  • a criança está algo exposta ao vento e à chuva
  • só com um espelho retrovisor podemos facilmente manter visibilidade sobre a criança
  • não é fácil / rápido de pôr e tirar o suporte, o que torna complicado partilhar entre bicicletas / pais, e ocupa o porta-bagagem mesmo quando não estamos a transportar o ‘ovo’

2.1.2. Cadeira | dos 9 meses aos 6 anos, máx. 22 Kg

Há modelos e versões que fixam no quadro da bicicleta e outros que fixam no porta-bagagem traseiro.

Nem todas têm apoio lateral para a cabeça, ou uma reentrância própria para um capacete, ou suspensão, ou costas reguláveis em altura, ou alças rígidas, ou são reclináveis, ou têm fecho / bloqueio anti-roubo. Alguns dos modelos têm acessórios disponíveis como ponchos e capotas para a chuva..

06-Captura de ecrã total 16062015 173819

PRÓS

  • há modelos compatíveis com quase todas as bicicletas
  • dá para um período alargado da vida da criança (quase 5 anos, dependendo do seu crescimento/peso)
  • baixo custo
  • fácil de pôr e tirar
  • fácil de guardar (pouco espaço)
  • fácil de partilhar entre pais / bicicletas
  • a criança está junto ao pai/mãe
  • a bicicleta mantém a sua largura e comprimento normais

CONTRAS

  • só com um espelho retrovisor podemos facilmente manter visibilidade sobre a criança
  • o peso alto afecta sempre um pouco o equilíbrio na bicicleta e a condução e manuseamento desta – principalmente se o condutor é baixo
  • é complicado uma pessoa sozinha colocar e remover a criança da cadeira se a bicicleta não tiver um apoio de descanso adequado, que ofereça estabilidade e suporte o peso extra, e/ou um estabilizador de direcção
  • quando os miúdos adormecem, podem ficar desapoiados, costas enroladas e cabeça a pender (ver este exemplo) – há modelos que minimizam isto, e há hacks para reduzir o problema
  • se a bicicleta cair, a criança [presa à cadeira] cai também
  • a criança está exposta aos elementos (sol, chuva, vento) – embora haja acessórios para minimizar isso
  • a não ser que instale uns acessórios especiais, perde geralmente o uso do porta-bagagem traseiro para transportar alforges
  • torna mais complicado montar e desmontar se for uma bicicleta de quadro alto (diamante, por exemplo)
  • pode ser mais difícil conduzir e manobrar a bicicleta à mão com a criança na cadeira (peso alto e atrás)
  • com algumas bicicletas, nas subidas pode haver tendência de a bicicleta levantar a roda da frente (depende da bicicleta e da distribuição de peso)
  • a criança não tem visibilidade para a frente, só para os lados
  • é complicado manter conversa com a criança (não nos ouvimos bem mutuamente)
  • só algumas bicicletas permitem deixar, por alguns momentos, a criança na cadeira, em segurança, com a bicicleta parqueada

2.1.3. Cadeira | 5 aos 10 anos, máx. 35 Kg

Há modelos e versões que fixam no quadro da bicicleta e outros que fixam no porta-bagagem traseiro – atenção à capacidade de carga deste último, tem que ser compatível.

Atenção que, se a bicicleta não tiver guarda-saias, este – ou uma protecção similar – tem que ser comprado à parte e instalado, para proteger os pés da criança.

08-Captura de ecrã total 16062015 173833

PRÓS

Genericamente, os mesmos das cadeiras traseiras até 22 Kg, salvo:

  • permite o transporte de crianças mais velhas, até aos 10 anos
  • é mais fácil (do que as cadeiras até 22 Kg) conjugar com o uso de alforges

CONTRAS

Genericamente, os mesmos das cadeiras traseiras até 22 Kg, salvo:

  • não acomodam de forma segura nem confortável uma criança adormecida!
  • se a bicicleta cair, a criança [presa à cadeira com o cinto de retenção] cai também, e sem protecção lateral (ao contrário das cadeiras até 22 Kg)

2.1.4. Coxins + apoios para pés + apoio para costas | 6 aos 12 anos, máx. 40 Kg

Esta é uma solução simples, modular, que dá para crianças mais crescidas e também para adultos – desde que a capacidade de carga do porta-bagagem e da roda traseira da bicicleta (e desta como um todo), sejam compatíveis.

Para dar boleia em pequenos troços, é uma solução interessante.

16-Captura de ecrã total 16062015 1738372

PRÓS

Genericamente, os mesmos das cadeiras traseiras até 35 Kg.

  • simplicidade
  • modularidade
  • baixo custo
  • acomoda adultos* e crianças

* O limite de peso tem a ver com a capacidade da bicicleta, nomeadamente do porta-bagagem e da roda traseira…, e da própria manobrabilidade e estabilidade da bicicleta.

CONTRAS

Genericamente, os mesmos das cadeiras traseiras até 35 Kg.

  • não são dispositivos homologados
  • não são pensados para pôr e tirar frequentemente

É importante averiguar o melhor possível, previamente, a compatibilidade de instalação e – muito importante – de uso de qualquer uma destas opções, com o trinómio bicicleta + condutor + contexto, pois isso determinará quão segura, prática e confortável será a solução adoptada.

Levar crianças na bicicleta: cadeiras e assentos à frente

Este artigo faz parte de uma série sobre as “10 soluções para levar crianças na bicicleta“. Outros textos desta série:

Ora, numa bicicleta convencional podemos transportar uma criança à nossa frente, recorrendo a cadeiras e assentos próprios, cujos Prós & Contras (face às outras opções aqui listadas) passarei a descrever de seguida.

Este artigo é um excerto e adaptação disto.

1. CRIANÇA À FRENTE

1.1. CADEIRAS

1.1.1. Cadeiras | 9 meses aos 3 anos, máx. 15 Kg

As cadeiras dianteiras ficam entre o guiador e o selim da bicicleta, a maioria fixa à frente, mas há um modelo que fixa atrás e outro que fixa à frente e atrás. Dão para crianças dos  9 meses aos 3 anos, máx. 15 Kg, e [os nossos modelos] começam nos 40 €.

Alguns modelos têm acessórios disponíveis como pára-brisas ou almofadas dianteiras para a criança se agarrar e/ou repousar (ver este exemplo) .

02-Captura de ecrã total 16062015 173737

PRÓS

  • fácil comunicar e supervisionar a criança
  • criança envolvida nos nossos braços
  • o peso está central na bicicleta, minimizando o efeito no equilíbrio desta
  • pode ser fácil montar e desmontar da bicicleta, conduzi-la à mão, e pôr e tirar a criança da cadeira, dependendo da bicicleta e da cadeira em causa
  • baixo custo
  • fácil de pôr e tirar
  • fácil de guardar (pouco espaço)
  • fácil de partilhar entre pais / bicicletas
  • a criança tem uma vista privilegiada
  • a bicicleta mantém a sua largura e comprimento normais

CONTRAS

  • o peso alto afecta sempre um pouco o equilíbrio na bicicleta e a condução e manuseamento desta
  • só serve um período curto da vida da criança (pouco mais de 2 anos)
  • em alguns modelos de cadeiras, quando os miúdos adormecem, podem ficar desapoiados, costas enroladas e cabeça a pender (ver este exemplo)
  • se a bicicleta cair, a criança [presa à cadeira] cai também
  • a criança está exposta aos elementos (sol, chuva, vento) – embora haja acessórios para minimizar isso, em alguns modelosde cadeiras
  • só algumas bicicletas permitem deixar, por alguns momentos, a criança na cadeira, em segurança, com a bicicleta parqueada

Dependendo da bicicleta e da cadeira em causa:

  • pode afectar a direcção
  • pode afectar o pedalar, ao interferir com as pernas
  • pode ser incompatível com pessoas mais baixas
  • pode anular as vantagens de um quadro rebaixado, quando a bicicleta o tem

1.1.2. Kit add-on + cadeira | 9 meses aos 6 anos, máx. 22 Kg

Uma forma de transportar à frente (neste caso, à frente do guiador e em baixo) uma criança acima dos 15 Kg e até aos 22-25 Kg, é instalar um destes kits que transformam a bicicleta num triciclo que se inclina nas curvas como uma bicicleta. Um dos acessórios que é possível instalar no kit é uma cadeira [traseira, normalmente] de transporte de crianças (9-22 Kg, até aos 6 anos).

03-Captura de ecrã total 16062015 173752

PRÓS

  • permite transportar à nossa frente, crianças até aos 6 anos de idade (ou 22 Kg)
  • relativamente fácil comunicar com a criança e supervisioná-la
  • conjunto mais estável em piso escorregadio – 3 rodas, baixo centro de gravidade
  • kit pode ser usado também para transporte de carga
  • embora não seja algo para estar sempre a montar e desmontar, mais tarde pode ser removido, recuperando-se a bicicleta na sua forma original
  • a criança tem uma vista privilegiada

CONTRAS

  • obriga a alterar o formato, dimensões e peso da bicicleta, convertendo-a num triciclo e tornando-a mais difícil de guardar e transportar
  • investimento elevado
  • em alguns modelos de cadeiras, quando os miúdos adormecem, podem ficar desapoiados, costas enroladas e cabeça a pender (ver este exemplo)
  • se o triciclo se virar, a criança [presa à cadeira] cai também
  • a criança está exposta aos elementos (sol, chuva, vento) – embora haja acessórios para minimizar isso, em alguns modelos de cadeiras
  • a criança está totalmente exposta de frente à projecção de água e detritos de outros veículos, e a colisões frontais com pessoas, outros ciclistas, e veículos
  • pelo nosso Código da Estrada, conduzir à mão um triciclo não é equiparado ao trânsito de peões, ao contrário de uma bicicleta
  • pelo nosso Código da Estrada, é proibido circular de triciclo nas ciclovias (pistas para velocípedes) – embora o texto não seja muito claro, pode ser que se não tiverem mais de 1 m de largura já sejam permitidos

1.1.3. Selins | 2.5 aos 6 anos, máx. 25 Kg

Estas soluções visam permitir transportar entre o condutor e o guiador, crianças acima de 3 anos / 15 Kg.

14-Captura de ecrã total 16062015 1738002

PRÓS

  • fácil comunicar e supervisionar a criança
  • criança envolvida nos nossos braços
  • o peso está central na bicicleta, minimizando o efeito no equilíbrio desta
  • fácil montar e desmontar da bicicleta, conduzi-la à mão, e pôr e tirar a criança da cadeira
  • baixo custo
  • não afectam a direcção
  • a criança tem uma vista privilegiada
  • são soluções pouco volumosas
  • se a bicicleta cair, a criança não fica presa a ela (salvo no caso da Bulldog, eventualmente)
  • a bicicleta mantém a sua largura e comprimento normais

CONTRAS

  • o peso alto afecta sempre um pouco o equilíbrio na bicicleta e a condução e manuseamento desta
  • não acomodam de forma segura nem confortável uma criança adormecida!
  • se a bicicleta cair, a criança cai também
  • a criança está exposta aos elementos
  • não são práticos de estar sempre a pôr e tirar (partilhar entre pais / bicicletas)
  • dependendo da bicicleta em causa, pode ser incompatível com pessoas mais baixas
  • a Oxford e a Bulldog podem danificar o quadro se montadas em bicicletas de alumínio, ou simplesmente de gama baixa

É importante averiguar o melhor possível, previamente, a compatibilidade de instalação e – muito importante – de uso de qualquer uma destas opções, com o trinómio bicicleta + condutor + contexto, pois isso determinará quão segura, prática e confortável será a solução adoptada.