Vamos pedalar para outra freguesia!

Após 7 anos de existência, os últimos 3 dos quais de casa aberta no nº 38 da Avenida Álvares Cabral, em Lisboa, já tinha chegado a hora, mas só agora chegou a oportunidade, de migrarmos para um novo sítio.

Por mero acaso, quando já tínhamos desistido da ideia, depois de mais de 6 meses à procura, uma cliente (mesmo sem saber do nosso apelo) falou-nos de um amigo que trabalhava numa imobiliária e que podia ter algo que nos servisse. Lá fomos, cépticos, mas tivémos sorte. Embora mais pequeno do que aquilo que precisávamos e procurávamos, era amplo, com muita luz natural, numa rua calma mas perto de tudo, tudo no R/C (que isto de acartar bicicletas escadas acima e escadas abaixo, ou passar os dias em caves não está com nada), e aparentemente sem problemas de humidade e com bom desempenho térmico. Um excelente upgrade! Conseguiríamos dispôr de melhores condições de trabalho para a nossa equipa, e simultaneamente melhorar a experiência de quem servimos. :-)

O chão precisava de ser alterado, e havia algumas reparações a fazer, mas não exigia nada de remotamente parecido com o que tivémos que investir no primeiro atelier para ficar minimamente usável para começar (lembram-se dessa novela? As fotos lá estão, para a posteridade!).

Avançámos, felizes pelo aparente golpe de sorte, mas naturalmente receosos pelo passo maior dado, e simultaneamente excitados e frustrados pela perspectiva de “começar tudo do zero”, quando ainda tínhamos tanta coisa por fazer e por melhorar no outro sítio (e já lá estávamos há 3 anos!).

Mas lá dizia o outro, que a mudança é a única constante da vida. E só há uma coisa pior que a trabalheira da mudança, e o natural medo e ansiedade associados: o aborrecimento. A perspectiva de ter nada por fazer nem nada aonde chegar é uma seca insuportável.

Bom, vamos então mudar de freguesia (literalmente), vamos para Alvalade, ficando mesmo na fronteira com as também novas freguesias de Avenidas Novas e Areeiro. Curiosamente, viémos parar também no centro de uma zona deficitária em serviços de apoio à mobilidade em bicicleta, como se vê no mapa abaixo (somos o ponto laranja) – não sei se isto é bom sinal,… pode ser porque ninguém precisa ou se interessa pela bicicleta aqui. Por um lado, a CaP existe justamente para tentar mudar esses estados de coisas, por outro, enquanto o fazemos temos que ir vivendo. Bom, logo descobriremos, suponho.

Captura de ecrã total 28032014 005745

(E não, não foi de propósito, tinha feito este mapeamento há uns meses atrás, como base de trabalho para uma ideia de Rede Pró-Bicicletas de Lisboa. Calhou assim.)

Entretando percebemos, ao termos que actualizar a nossa página de Contactos, que é um óptimo sítio em termos de acessibilidade por transporte público, o que é muito útil (já estou a pensar no jeitão que isso dará para as Viagens a Pedal).

Mapa_de_Rede_integrada_2-1813

Já começámos a tratar do chão, no novo atelier, e já começámos a arrumar as coisas no velho atelier.

Entretanto, para acabar o que falta, mudar tudo de sítio, e arrumar minimamente as coisas para podermos retomar o trabalho normal, vamos estar encerrados de 29 de Março a 2 de Abril, inclusivé. Esperamos conseguir reabrir dia 3, 5ª-feira! Logo que possível decidiremos e divulgaremos uma data para a “house warming party” depois. :-)

Por enquanto as aulas de bicicleta dos níveis básicos continuarão a decorrer em Campo de Ourique, mas seria óptimo conseguir ter acesso a um espaço coberto também aqui em Alvalade! Mais uma nova luta!…

De resto, temos ainda que encontrar uma solução para a Feira de Bicicletas Maduras, já que no novo atelier não dispomos de um espaço privado que possamos ceder livremente para o evento. Vamos ver se a Junta de Freguesia de Alvalade é amigável, e interessada em ser bike-friendly, e nos autoriza a realizar a feira num jardim próximo!… Façam figas. :-)

Usados, e novos a preço de saldo

A Feira de Bicicletas Maduras voltou, e agora passa a mensal, no 1º sábado de cada mês.

É já este sábado, dia 1 de Março a próxima edição. Se têm bicicletas, peças ou acessórios a sobrar, tragam-nos, há gente à procura! :-)

E para ajudar a animar a coisa, nesse dia ofereceremos 15 % de desconto EXTRA nos artigos (principalmente coisas de Inverno) que já temos no atelier em promoção.

Vamos viajar de bicla em 2014?

Sozinhos, com os miúdos, até ao concelho vizinho ou à outra ponta de Portugal, ou mesmo pelo mundo afora?

Grandes viagens

É já no próximo dia 21 de Fevereiro, a partir das 18h20, que o Rafael Polónia virá de novo ao nosso estaminé dar a sua palestra para ciclo-viajantes.

O seu forte são as GRANDES viagens, intercontinentais, mas as suas experiências serão interessantes e úteis para qualquer pessoa que sonhe fazer uma viagem internacional.

As inscrições (28 €) são feitas aqui, até ao próximo dia 16. Não percam a vossa vaga, reservem-na já!

Viajar com crianças

Em Março e Abril teremos um ciclo de quatro tertúlias biciculturais com o tema “Viajar de bicicleta com crianças”!

DSCF4922_crop

Viajar de bicicleta. Viajar de bicicleta em família. Viajar de bicicleta com filhos pequenos! 
Como é? Que tipo de preparação exige? Onde ir? É giro?

Nestas tertúlias teremos famílias que já o fizeram a vir partilhar a sua história: porque decidiram viajar de bicicleta, que preparativos fizeram, que coisas escolheram levar, onde decidiram ficar, porque escolheram aquele percurso, o que gostaram mais, o que gostaram menos, quais os receios que tinham e como lidaram com eles, que surpresas tiveram, o que significou a experiência para eles enquanto família e cada um enquanto indivíduos (crianças incluídas).

Virão cá ajudar a desmistificar a ideia de que viajar de bicicleta com crianças é “impossível” ou demasiado complicado, ou só para atletas ou ciclistas experientes.

Foto1066 Foto1178

Estas não foram grandes viagens internacionais de meses ou anos, foram viagens relativamente curtas, da duração de umas férias normais, acessíveis a qualquer família, aqui mesmo, em Portugal. Sair por aí de bicicleta, com os miúdos, acampando neste parque aqui, pernoitando em casa de um amigo ali, acampando “selvagem” mais à frente… :-)

CONVIDADOS
 
  • 14 de Março, 6ª-feira, 19h: Pedro & Flávia (que viajaram com os três filhos, Manel, Maria e Francisca)
  • 28 de Março, 6ª-feira, 19h: Gonçalo (que fez várias viagens com o filho Gustavo)
  • 9 de Abril, 4ª-feira, 19h: Filipa & João (que fizeram uma viagem com os dois filhos Vasco e Manel)
  • 23 de Abril, 4ª-feira, 19h: Manon & Luís (que viajaram com a filha Lúcia)

As inscrições são gratuitas e são feitas aqui. Os lugares são limitados, reservem hoje a vossa vaga!

“Se não ficar satisfeito devolvemos o seu dinheiro”

Ora bem, a nossa escola da bicicleta entra em 2014 com uma graaaaande novidade: um pavilhão! Coberto, fechado, privado! :-) Graças a uma parceria com o CACO – Clube Atlético de Campo de Ourique, temos agora o pavilhão deles reservado para nós aos domingos de manhã. Os testes começaram ainda em Dezembro:

A aprovação tem sido geral. :-D Nos cursos “ABC da Bicicleta” (dos adultos e das crianças), as pessoas evoluem rapidamente e temos mais tempo para trabalhar as coisas essenciais do bom controlo da bicicleta. Sim, sabem que ensinar pessoas a andar de bicicleta não é só pô-las a equilibrar-se e a pedalar sozinhas, certo?… Conforto, prazer e segurança requerem um pouco mais do que isso.DSCN0228

Bom piso, um tecto por cima de nós, independência da chuva, do frio, do vento, até do sol e do calor! Não é heterogéneo, realista e desafiante como o Jardim da Estrela, onde dávamos (e continuaremos a dar) aulas, mas em contrapartida é calmo e sossegado, abrigado da chuva, reservado para nós, e resguardado de olhares curiosos.

DSCN0237Os cursos neste pavilhão são aos domingos de manhã, nunca são cancelados por causa da chuva ou de falta de inscritos suficientes (ao contrário dos no Jardim), e garantimos resultados (ou devolvemos o seu dinheiro!). Sim, garantimos que qualquer aluno em condições normais (isto é, sem condicionantes médicas e afins que o justifiquem), sai dali a saber o básico.

Temos agora um novo workshop, que funciona numa lógica de aulas avulsa, chamado [re]Ciclar, que serve quem faz o “ABC da Bicicleta” continuar a praticar e a desenvolver, bem como para quem já anda de bicicleta mas ainda há umas coisas que não domina (ex.: mudanças, andar em pé, pedalar com o selim à altura correcta, sem chegar com os pés ao chão, tirar a mão do guiador, etc, etc), e ainda para quem não pega na bicicleta há anos e precisa de uma reciclagem. ;-)

Depois, o curso “Condução de Bicicleta em Cidade” também tem uma das sessões a decorrer no pavilhão, e agora tem um módulo adicional no fim, que consiste numa viagem acompanhada, feita individualmente com cada formando, onde se aplica tudo o que se desenvolveu nos outros módulos, a um percurso relevante para a pessoa.

Temos mais bicicletas, para podermos ter turmas maiores e em simultâneo, e o nosso sistema de reservas online também tem algumas coisas novas que nos facilitam a todos os processos.

Resumindo, em 2014 estamos ainda mais preparados para vos prestar o melhor nível de serviço possível. :-)

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

E para assinalar isso, e a título de adeus a 2013, temos uma promoção imperdível: inscrevam-se até 31/12/2013 para cursos em Janeiro e Fevereiro e beneficiem de 15 % de desconto (não acumulável com outras promoções)!

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

continenteEntretanto, o calendário do primeiro quadrimestre do ano está quase pronto, a maior parte dos cursos e workshops já tem calendarização, e os outros deverão tê-la entretanto.

Ah, e estamos a planear cursos em Fátima, Porto e Algarve, já estão online e serão confirmados quando recebermos o número mínimo de pedidos que viabilizem as deslocações.

Reservem já a vossa vaga! :-)

Empresa jovem procura espaço interessante para relacionamento sério

Empresa jovem (7 anos), de boas famílias, trabalhadora, simpática e boa rapariga, procura espaço interessante, filho também de gente boa, de estatura alta mas de pés bem assentes na terra (tudo num R/C, e se possível com pé alto) e amplo (mín. 100 m2), com boas cores e bons ares (que apanhe bastante luz natural e seja arejado), e bem posicionado na vida (numa rua plana, mais ou menos no centro da cidade, interessante, e com bom pavimento), sem vícios (nomeadamente essa adicção comum que para aí grassa, aos carros, ou seja, sem estar atolada em automóveis, e íntima do Metro e/ou comboio e/ou autocarro), para um relacionamento sério e duradouro. Tem, contudo, que ser um cavalheiro de baixa manutenção (até ~500 €), embora possamos investir um pouco no início da relação.

 

A quem nos conseguir arranjar este casamento, complementaremos a nossa eterna gratidão com um desconto de 20 % numa bicicleta, 1 ano de assistência técnica gratuita (a mão-de-obra) a essa mesma (ou uma actual) bicicleta, e 1 vale de incrição num curso para aprender a andar de bicicleta ou para aprender a conduzir.

Têm um candidato interessante a propôr? :-) Entrem em contacto pelo e-mail info@cenasapedal.com.

A Cenas a Pedal já tem 7 anos de vida, e no último ano cresceram-lhe mais 6 bracinhos e 6 perninhas, e a “roupa” já lhe fica apertada, pelo que está na hora de mudar para um número maiorzito antes que arranje problemas de circulação. :-P O ideal era algo como o que temos actualmente mas simplesmente com mais espaço interior.

IMGP5045

Lisboa está cheia de imóveis, sim, vazios, degradados, situados em ruas abandonadas, entupidas de automóveis, ruído, fumo, com o piso degradado, e/ou simplesmente fora do mercado de arrendamento, ou nele, mas a preços incomportáveis. Encontrar um sítio funcional e agradável para se trabalhar e que seja agradável e prático também para quem nos visita, sem custar os olhos da cara, é uma tarefa hercúlea, ou uma questão de sorte. Temos andado à procura mas está difícil encontrar uma loja que não inclua boa parte da área útil numa cave (acartar bicicletas “das nossas”, escadas acima escadas abaixo não dá), por exemplo. Assim, resolvemos pedir ajuda à multidão que por aí anda de olhos postos na cidade. Afinal, o pior que pode acontecer é nada. 

E então, onde gostavam de ter a Cenas a Pedal? :-)