Cycle Chic versão enxuta, e mais

O 1º Evento Cycle Chic Lisboa meteu água, muita água, literalmente. 🙂 Quando o Miguel anunciou uma repetição, tínhamos que reiterar o nosso apoio marcando novamente presença, e esperando que não fosse, desta vez, a anunciada “onda de calor” a atrapalhar o evento.

Felizmente esteve um belíssimo dia de Verão. 🙂 Bastante calor sim, mas nada como os 40ºC que receávamos. Subir com a bakfiets levemente carregada a Rua Castilho exigiu parar duas vezes, não tanto pela subida em si mas pelo calor e o sol a bater-nos directamente. Fora essa subida, tudo o resto faz-se bem. Desta vez não tivemos contratempos e chegámos bastante cedo ao Campo Pequeno, tivemos muito tempo para montar o estaminé com calma.

Montra móvel

Apesar do calor e do fim-de-semana prolongado, apareceu bastante gente.

Tenda da Cenas a Pedal

A maior parte vinha num estilo mais desportivo / casual, mas houve uns quantos que levaram a coisa a sério e foram mesmo em modo chic. 🙂


SIC CYCLE CHIC por PedrodePena

Vejam as nossas fotos aqui, as do Eduardo aqui, e o relato do Miguel aqui. Houve vários exemplos de ciclistas chic, mas no meio de tanta gente achei algo desconcertante ver um casal que parecia ter levado demasiado a sério as recomendações da APSI para ciclistas

Foi um fim-de-semana cheio em termos de bicicletas, na 6ª-feira a Massa Crítica, no Sábado o Cycle Chic, no Domingo de manhã o Lisboa Bike Tour e o Tejo Ciclável, e à tarde o World [quase] Naked Bike Ride.

O Bruno manteve-se bastante ocupado antes da partida e após a chegada, em serviço como Bicycle Repair Man.

Tenda da Cenas a Pedal Bicycle Repair Man em acção

Depois arrancou na sua Big Dummy, tendo dado boleia ao cameraman da SIC durante todo o passeio. 🙂


Foto: Humberto

Ficou assim a bakfiets transformada em montra móvel a marcar presença sozinha na tenda.

Montra móvel

Enquanto esperava, resolvi colar uns autocolantes “menos um carro” na bakfiets, pois permite-nos realmente passar bem sem carro mesmo neste tipo de situações. 🙂

Menos um carro!

No final, arrumámos tudo nas bicicletas e zarpámos de volta a casa.

Estaminé arrumado!

A descer faz-se bem. Av. da República, Fontes Pereira de Melo, rotunda do Marquês, Rato, Estrela. Andar por aí de bakfiets é priceless. 😛 As pessoas vêm-nos a passar e têm uma espécie de flashback de Amsterdão.

No dia 1 de Julho fui com a bakfiets fazer uma entrega simbólica de livros na Casa do Brasil, no âmbito de uma campanha de recolha de livros promovida pela EpDAH – Engenharia para o Desenvolvimento e Assistência Humanitária, pelo que subi novamente, desta vez com a caixa vazia, até à FCUL, no Campo Grande, onde carregámos os livros simbolicamente pelas 3 bicicletas, e depois descemos até perto do Chiado.

01072011293.jpg 01072011295.jpg
01072011302.jpg Chegada e entrega simbólica dos livros

Depois subi novamente prá Estrela. Pacífico. 🙂

Finalmente, no Domingo dia 3 marcámos presença nas Festas de Santa Isabel, a simpático convite da Junta de Freguesia, e também levei a bakfiets. Digamos que sinto que já fiz a rodagem dela em Lisboa. 🙂

De saída para as Festas de Santa Isabel De saída para as Festas de Santa Isabel

Nas Festas de Santa Isabel

Conseguirmos fazer a nossa vida, Cenas a Pedal incluída, sem ter que usar um automóvel dá um gozo especial. Nas poucas ocasiões em que temos que o fazer, parece um momento solene, solene e extremamente secante. É tão mais vívida a vida em cima de uma bicicleta! 🙂

Cenas a Pedal verde

Na Cenas a Pedal (e em casa) somos o mais “eco” que conseguimos. 🙂 ‘Eco’ de ecológico e ‘eco’ de económico, que normalmente são conceitos coincidentes, quando se analisa tudo numa perspectiva global.

Reduzimos o que podemos reduzir a nível de embalagens, consumíveis, electricidade (ex.: lâmpadas economizadoras), água (ex.: redutores de caudal), etc. E só deitamos coisas fora depois de as deixar de molho muito tempo à espera de uma oportunidade de as “re-purpose” (geralmente quando temos que arranjar espaço para mais tralha).

Reutilizamos tudo o que for possível. Frascos de café, doces, etc, por exemplo, produzimos mais do que temos uso para reutilizar. Entretanto lembrei-me de usar uns desses frascos acumulados em casa para guardar cenas no ateliê. 🙂

Reutilização dos frascos lá de casa

A bancada de trabalho da oficina era uma porta de um armário de cozinha, por exemplo. E as dimensões eram *exactamente* as necessárias para encaixar nas duas estantes que servem de base. Serendipity, my friends!

Serendipity!

As pilhas, só recarregáveis.

E, claro, guardamos as caixas e o padding das encomendas dos fornecedores, para reaproveitar para enviar encomendas para os clientes.

Entretanto, mais frascos de casa e restos de peças e afins da oficina em acumulação serão doados logo que possível à Cicloficina.

Reciclamos tudo. Papel/ cartão, embalagens, vidro, etc. Tudo o que der, vai para o ecoponto. As câmaras de ar velhas são cortadas e transformadas em elásticos, em protecções, etc, etc.

E claro, vamos a pé ou de bicicleta para o trabalho, ter com os clientes, ou entregar encomendas, ou até fazer mudanças. 😉

Encomenda, rumo aos CTT

E nada disto é sacrifício nenhum, faz parte das rotinas quotidianas, qualquer um pode fazer sem prejuízo algum, pelo contrário. É pouco, mas é a nossa parte!

Oficina a laborar!

Desde a inauguração oficial do ateliê, a oficina do Bicycle Repair Man já tem tido movimento. 🙂

Um furo numa bicicleta dobrável.

Furo Furo

Raios partidos (encontro imediato com uma canadiana, e não me refiro à nacionalidade), e um furo numa bicicleta de uma vizinha.

Raios partidos & furo Raios partidos & furo

Uma Xtracyclerização de uma nova Electra Townie, para o César, que desistiu da Kona Ute por causa dos atrasos que esta tem sofrido (o modelo de 2011 só chegará à Europa dentro de um mês, 3 meses depois do previsto, devido a atrasos na fábrica, mas agora já estão em trânsito – stock limitado, se estão interessados numa, o melhor é encomendar já!.

Xtracyclerização de uma Electra Townie Xtracyclerização de uma Electra Townie Xtracyclerização de uma Electra Townie

E a bicicleta do T. aguarda a chegada de um kit Xtracycle Classic Cargo 2010 (o César levou o último 2007!) para ser convertida em cauda-longa, a par de uma revisão e alterações de componentes, para ser a bicicleta de todos os dias e ainda dar para umas viagens aqui e ali. 🙂

Xtracyclerização

A propósito, a Xtracycle começa a ter “problemas bons”, isto é, escassez de stock face à procura. Agora os kits Classic Cargo só estarão de novo disponíveis para encomenda nos EUA  na 1ª semana de Junho, e devem esgotar rapidamente outra vez. Se estão a pensar adaptar a vossa bicicleta para uma Xtracycle brevemente, o melhor é fazerem a vossa encomenda com o máximo de antecedência possível, para não ficarem pendurados depois à espera.

A nossa oficina funciona por marcação, pode deixar connosco a bicicleta a qualquer dia da semana e a qualquer hora do dia, mesmo em pós-laboral, basta para isso combinar antes.

O estaminé já foi oficialmente inaugurado

Os americanos usam uma expressão, “house warming“. E foi isso mesmo, calor humano.

Inauguração

Tivémos a casa cheia de amigos, comidinha boa, e até mojitos preparados pelo meu irmão, o barman da noite, a alimentar as horas de boa conversa. 🙂

O estaminé já foi oficialmente inaugurado!

Ateliê da Cenas a Pedal Parque de estacionamento privativo!

O resto das fotos estão aqui.

Obrigada a quem veio celebrar connosco! 🙂

“Querido, mudei o ateliê” – VI

Em contagem decrescente.

Temos andado caladinhos, mas o trabalho no ateliê tem continuado, no intervalo do expediente normal, e sempre que os colaboradores externos da família dão cá um salto. 😉 Já está verdadeiramente irreconhecível. 🙂

  • arrancar e substituir rodapés – check!
    Rodapé novo no escritório Rodapé novo na sala principal
  • arrancar e substituir, e pintar, sanca – check!
    Tecto pintado, nova sanca
  • pintar paredes – check!
    Prateleiras e paredes pintadas, rodapé novo Azul & banana
  • refazer e ampliar instalação eléctrica (tomadas, puxadas para as luzes, etc) – check!
    Novas tomadas Luz para a zona da oficina Projector à entrada

To be continued…