Festival Itinerante CicloRia

Festival CicloRia . 1, 2 e 3 de Julho . Ovar, Murtosa e Estarreja

O Festival Itinerante CicloRia convida-o a pedalar pelas paisagens da Ria num encontro com a cultura, a gastronomia, a natureza e as gentes da terra. Um itinerário suave, agitado pelas actividades em bicicleta,  embarcações típicas, jogos, artes e concertos musicais.

Um Festival para toda a família, com vários ritmos e intensidades.

O programa do Festival está aqui.

As BUGAs a apodrecer

Triste, mas verdade. As cerca de 200 bicicletas do antigo primeiro sistema de ‘bikesharing‘ de 2ª geração em Portugal, as Bicicletas de Utilização Gratuita de Aveiro (BUGA) estão a ressentir-se da falta de investimento da autarquia neste ex-líbris da cidade. As BUGAs há muito que não funcionam como um sistema de bikesharing mas apenas como um conjunto de bicicletas de aluguer gratuito (como as BiCas em Cascais, por exemplo), mas continuam a ser algo associado à imagem turística de Aveiro. E deviam estar associadas à sua rede de transportes públicos, mas mesmo na “cidade das bicicletas” portuguesa a visão política não as vê como os elementos de valor acrescido que são.

Por cá pela capital, nem de 3ª, nem de 2ª nem de primeira geração, parece… 🙁

Campanha «Ponha a sua bicicleta a andar!»

No âmbito do Projecto Europeu de Mobilidade Saudável “LifeCycle – A Bicicleta é Vida!” (do qual a Cenas a Pedal é parceira e embaixadora) a Câmara Municipal de Aveiro lançou a campanha “Bicicleta Solidária“, que incentiva as cidadãos de Aveiro a doarem as bicicletas que já não usam (incluindo as de criança) para que, depois de serem “recauchutadas”, possam ser oferecidas a quem delas possa fazer uso. Há vários pontos de recolha onde os interessados poderão deixar as suas bicicletas, incluindo a Loja BUGA, a CMA, a Universidade de Aveiro, várias escolas, etc. A campanha teve início dia 1 de Março e terminará dia 31 deste mesmo mês. Mais informação aqui.

Bicicleta Solidária

Conferência ‘O Lazer e o Turismo Ciclável em Portugal’

Ora aqui está uma área de desenvolvimento sustentável do país que passa completamente ao lado de quem nos governa: o lazer e o turismo em bicicleta. Bom, começa a haver sinais de mudança, a Ecovia do Algarve, as Ecopistas da Refer (embora estas sejam reflexo de algo negativo: o desinvestimento na ferrovia…), as ciclovias à beira-mar e beira-rio aqui e ali…

São sinais de esperança, que precisamos de alimentar. É necessário que os políticos percebam que os ciclistas “recreativos” e os cicloturistas são um factor de dinamização económica e social das regiões, que criam emprego, que atraem pessoas, que criam riqueza, com baixo impacto ambiental e relativamente pouco investimento. É preciso que estas pessoas e este estilo de vida sejam valorizados, o que se percebe pela qualidade, coerência, consistência e relevância das infraestruturas e serviços criados. Algo que actualmente deixa muito a desejar… Por isso há que batalhar, amigos! Para depois podermos pedalar! 😀

Posto isso, é de contribuir, participar e divulgar a Conferência ‘O Lazer e o Turismo Ciclável em Portugal’, a ter lugar na Universidade de Aveiro, no próximo dia 6 de Novembro.