Montar tubagem para passagem de corrente

Para proteger a corrente otimizando a sua posição e poupar a roupa(!), o Bruno pediu-me para arranjar uma solução para a montagem de tubagem na sua reclinada artesanal.

A solução que implementei passou por furar o tubo principal do quadro, perto da caixa de direção e instalar uma porca rebitável:

Esta porca tem uma rosca M6 normal e fica fixa ao tubo (tal como um rebite), da mesma forma que os apoios para os suportes das garrafas, ou que os apoios frontais para suportes de alforges frontais (low riders) em alguns garfos (ambos M5).

Para aplicar esta porca, usa-se um alicate idêntico aos usados para os rebites normais, mas com uma terminação diferente:

Para segurar a tubagem usei uma abraçadeira dupla fixa no novo ponto de suporte:

Esta abraçadeira vai segurar a porção de tubagem que vem da roldana intermédia (de força), e que volta para o desviador traseiro (de retorno):

Além desta aplicação de suporte, é possível desta forma recuperar/reparar as porcas de apoio dos suportes de água ou outros do mesmo tipo.

Esta bicicleta já participou numa prova Audace da FPCUB em 2012 (está lá ao fundo!):

Outras aventuras a esperam! 🙂

Trikes DIY na Nazaré

Descobri mais um adepto do faça-você mesmo aplicado aos triciclos reclinados (a.k.a. recumbent trikes), desta vez na Nazaré, o João, que se virou para as recumbents por indicação médica que lhe vedou as bicicletas convencionais, e que pretende motorizar um trike:

Trike1 Trike2

Trike3 Trikes4

Há algumas fotos do processo de construção/aperfeiçoamento:

Trike5

Trike6 Trike7

E até há um vídeo, embora mostre essencialmente um par de pés. 🙂

Eles “andem aí”! 🙂

Trike8

Faz mesmo lembrar os Karts KMX.

A lista vai assim crescendo:

Carlos Camoesas, Ovar.
José Aiveca, Beja.
Jaime.
Pedro Homem, Pinhal Novo.
João, a.k.a. Tiengenhocas, Nazaré.

Dá para perceber que o formato tadpole é o favorito. Em delta só vi um do José Aiveca.

Trike DIY roubado em Pinhal Novo

Recebemos um e-mail do Pedro Homem, de Pinhal Novo, a informar que na segunda semana de Agosto lhe roubaram da sua garagem um triciclo reclinado que ele próprio construiu (juntamente com uma bicicleta da marca Cube), e que ele gostaria de recuperar, pelo «trabalho e esforço que dedicou na construção do trike».

Diz que «o seu valor comercial não é significativo, e o material de gama baixa/media e alguns dos aspectos técnicos ainda não estavam totalmente desenvolvidos». O Pedro agradece assim que quem aviste este trike comunique o facto às autoridades.

Entretanto, temos assim conhecimento de mais um adepto dos trikes reclinados e do faça-você-mesmo! 🙂