Circulando en bici con seguridad

Aqui está um bom pequeno vídeo de educação rodoviária para ciclistas e não só, vindo de nuestros hermanos:

Para aprender mais, é só inscreverem-se no próximo Ir & Vir de Bicicleta! 🙂

Quer usar a bicicleta como meio de transporte?

Conhecer os seus direitos e deveres enquanto condutor(a) de uma bicicleta, as regras que regem o trânsito, e as técnicas para evitar acidentes, escolher os melhores percursos e pedalar com conforto nas suas viagens, são essenciais para que possa desfrutar ao máximo das vantagens da bicicleta como meio de transporte lúdico ou utiliário.

Ir & vir de bicicleta

Mãe & filha Começar e terminar uma deslocação em estrada, posicionamento na via, ultrapassagens, passar ruas laterais, virar de uma rua principal para uma secundária e vice-versa, estratégias de condução segura, regras básicas do CE (nomeadamente interpretação de sinais e marcas rodoviárias).

Atenção que a frequência prévia numa Clínica de Bicicleta é um pré-requisito para este curso (o domínio do veículo antes do domínio da estrada!).

Próximas datas:

  • Clínica de Bicicleta, 24 Setembro 9h-12h, 24 €
  • Ir & Vir de Bicicleta, 22 e 29 de Outubro, 9h30-11h30, 39 €

8º Congreso Ibérico “La bicicleta y la ciudad”

Estes congressos ibéricos têm sido organizados a cada 2 anos, desde 1996, alternando entre a FPCUB, em Portugal, e associações membros da ConBici, em Espanha. O último em Portugal foi em 2008, em Vilamoura.

Este ano é a vez de Espanha, e a organização caberá à associação “A Contramano”.

As comunicações podem ser enviadas até dia 1 de Outubro.

V Conferencia Europea de Vías Verdes

É em Madrid, de 10 a 12 de Junho de 2010.

Objectives: The aim is the exchange of experiences and good practices, between political and technical agents in charge of European Greenways entailed in its planning, maintenance, management and promotion, as well as related civil associations such as as: cyclists, pedestrian, disable people, and companies interested in its use and operation. The event will also focus on proposing recommendations to promote and develop a European greenways policy.

3er Congrés de la Bicicleta

É já daqui a um mês, de 14 a 17 de Abril, em Lleida, Espanha, o 3º Congresso da Bicicleta.

Os temas deste ano são infraestrutura & legislação. A última edição foi em 2008.

Checkem a agenda. 🙂

Estou a ponderar ir! Mas ainda é uma brincadeira para ficar nuns 300 € mesmo na versão mais low-cost, e 3 dias de trabalho… Logo se vê como correm as próximas 2-3 semanas para a Cenas a Pedal. ;-P Alguém por aí está também com ideias de ir?

Alhos e bugalhos

Um ciclista dirige-se para o trabalho às 05h30, de madrugada, e para atalhar caminho, parece, usa uma rua de sentido único, em sentido proibido e, num entroncamento sem visibilidade colide violentamente com um automóvel, morrendo instantaneamente.

Um jornalista conclui automaticamente que este é mais um caso que vem ilustrar a necessidade de ciclovias na cidade de Vigo, e sustenta tal opinião com o facto de 2 mil ciclistas se terem manifestado dias antes, reivindicando a não anulação do projecto já adjudicado de construção de uma ciclovia ao longo da costa que permita ligar Vigo a A Ramallosa, e que ofereça maior segurança e conforto aos ciclistas que já fazem esse percurso em lazer ou em desporto (e angariando mais dentre as pessoas que se dirigem para as praias), comparando com a via de elevado volume de tráfego motorizado actualmente disponível.

Eu diria que uma coisa não tem a ver com a outra. Eu olharia para a notícia do ciclista abalroado e morto (e da condutora em choque) e pensaria que é mais um caso que vem ilustrar a necessidade de formação e sensibilização dos condutores de bicicletas e de automóveis para saberem evitar situações em que se possam pôr em risco a si próprios ou aos outros. O ciclista deveria saber que os outros condutores não esperam cruzar-se com ele numa rua de sentido único em que ele segue em sentido proibido e que tal manobra é ilegal e, das duas uma, ou não seguir em contra-sentido ou fazê-lo de forma consciente e o mais segura possível. A condutora deveria fazer aquela curva cega com mais cuidado, afinal, era uma curva cega, e era de noite. Ambos foram parcialmente culpados, embora o grosso da culpa recaia sobre o ciclista, pela informação a que consigo aceder.

Olharia ainda para a notícia sobre a manifestação de ciclistas pela ciclovia pela costa e pensaria que tal infraestrutura, se bem desenhada, pode ser algo muito positivo e vantajoso para os utilizadores de bicicleta, seja em que contexto for – utilitário, lúdico ou desportivo, e que tal via não pode ser encarada como um corredor para proteger os ciclistas de si próprios, como parece ser a ideia do jornalista.

[Notícia via lista do CiudadCiclista.]