Hoje é dia de… MEGA Massa Crítica até Oeiras


Em 2015 foi assim a Mega Massa Crítica de Verão!

‘Bora daí! Por uma ligação Lisboa-Oeiras mais fixe para quem vai de bicicleta.
Pssst! Não sabes o que raio é a Massa Crítica? Vê este guia.

E vamos, com a gentil colaboração da Coração Amarelo, conseguir levar o Manuel Costa Henriques, grande dinamizador da Massa Crítica e cicloactivista, a participar. Usando um dos triciclos da Coração Amarelo o ombro em recuperação do Manuel não será impedimento. 🙂 Poderão vê-lo a partir de Algés na Mega MC de hoje!

Circular de bicicleta na Marginal num grupo destes é fácil e confortável mesmo para quem anda pouco de bicicleta. Mas se queres andar à vontade de bicicleta por qualquer lado, de forma segura, e sem medo dos carros ou da estrada x ou y, e sem cair nas armadilhas específicas das vias segregadas, faz este curso. Temos um este fim-de-semana! Se não puderes fazê-lo todo, podes vir só à palestra sábado de manhã! Mais info e inscrições aqui.

aulas de condução de bicicleta na cidade

Um dos slides que vamos discutir.

Colóquio “Ruas Seguras: Educação para a Cidadania Rodoviária e Mobilidade Sustentável”

Relacionado com o meu interesse e trabalho na área da educação e segurança rodoviárias, frequentei recentemente a parte teórica da Oficina de Formação Ruas Seguras (ACA-M / CFPJS), e dia 15 de Dezembro há um Colóquio alargado sobre este tema, no Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna, na R. 1º de Maio, 3, Lisboa, que convido os interessados nesta questão tão importante nos nossos dias a participarem.

O Colóquio “Ruas Seguras: Educação para a Cidadania Rodoviária e Mobilidade Sustentável” surge no âmbito do projecto da ACA-M intitulado “Mobilidade Sustentável e Segurança Rovoviária: um projecto de educação para as novas gerações”, financiado pelo Programa Gulbenkian Ambiente, da Fundação Calouste Gulbenkian.

Trata-se de um projecto de educação e prevenção destinado às novas gerações, que pretende lançar um programa de estudo multidisciplinar das envolventes rodoviárias dos estabelecimentos de ensino, com o objectivo de promover, entre os jovens, e toda a comunidade escolar, um melhor conhecimento das diversas problemáticas levantadas pelo actual paradigma de mobilidade rodoviária. Pretende-se, ao mesmo tempo, incutir nos jovens, um espírito de activismo cívico, mobilizando-os e incluíndo-os activamente na resolução dos problemas que, de forma directa ou indirecta, os rodeiam.

A ACA-M possibilitou a implementação de projectos de Educação para a Cidadania Rodoviária e Mobilidade Sustentável nas escolas de uma forma articulada com o currículo nacional, através de uma oficina de formação para docentes que permitiu fornecer-lhes as competências necessárias para implementarem este tipo de projectos e permitiu uma melhor sensibilização para as questões associadas a esta temática.

O Colóquio, a realizar no dia 15 de Dezembro de 2011, pretende constituir-se como uma apresentação pública e balanço do projecto “Mobilidade Sustentável e Segurança Rodoviária”, divulgando os seus resultados práticos. Propõe-se, ainda, reflectir e lançar o debate acerca do presente e futuro da educação para a Cidadania Rodoviária e Mobilidade Sustentável nas escolas portuguesas.

PROGRAMA

9.30: Sessão de abertura

Director do ISCPSI (Superintendente José Ferreira de Oliveira)
Presidente da ACA-M (Manuel João Ramos)
Programa Gulbenkian Ambiente Fundação Calouste Gulbenkian (Sofia Guedes Vaz)

10.00: Painel I – Educação para a Cidadania Rodoviária

Moderador : Presidente da ANSR

Representante da Direcção Geral de Saúde (Gregória Von Amann)
Representante da Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular (Luís Filipe Santos)
Representante da Escola Segura

11.00: Coffee break

11.30: Painel II – Cidadania Rodoviária e Mobilidade Sustentável

Moderador: Vereador da Câmara Municipal de Lisboa (Fernando Nunes da Silva)

Representante do Gabinete Coordenador da Segurança Escolar
Representante do IMTT
Representante da CONFAP
Representante da FENPROF

13.00: Almoço

14.00: Apresentação da Oficina de Formação Ruas Seguras (ACA-M / CFPJS)

Moderador: Centro de Formação Professor João Soares (Dalila Tching)

Mário Alves, Manuel João Ramos, Ana Jacinto, Maria João Martins, Victor Meirinhos e Luís Escudeiro.

15.00: Resultados práticos da Oficina de Formação Ruas Seguras (ACA-M / CFPJS)

Ana Jacinto e Maria João Martins (ACA-M)

15.30: Coffee break

16.00: Painel III – A Educação Rodoviária hoje

Moderador: Rui Zink

Mesa Redonda com:

Presidente da Prevenção Rodoviária Portuguesa – José Trigoso
Rui Alves – Investigador do Intituto Politécnico de Castelo Branco
Francisco Costa – Investigador do Cesnova
Presidente da APSI (Sandra Nascimento)
Presidente da GARE (António Adérito Araújo)
Escola Fixa de Trânsito da Junta de Freguesia de S. Domingos de Rana
Escola Segura

De pequenino…

As crianças são formatadas pelas referências que lhes damos. Neste Natal (e fora dele) lembre-se disso. Em vez de oferecer carros, jipes e Cia de brinquedo, ofereça comboios, autocarros… ou bicicletas. 🙂 Dê o melhor exemplo.

Esqueça isto, já está muito batido:

 

Insista mais nisto:

Circulando en bici con seguridad

Aqui está um bom pequeno vídeo de educação rodoviária para ciclistas e não só, vindo de nuestros hermanos:

Para aprender mais, é só inscreverem-se no próximo Ir & Vir de Bicicleta! 🙂

Quer usar a bicicleta como meio de transporte?

Conhecer os seus direitos e deveres enquanto condutor(a) de uma bicicleta, as regras que regem o trânsito, e as técnicas para evitar acidentes, escolher os melhores percursos e pedalar com conforto nas suas viagens, são essenciais para que possa desfrutar ao máximo das vantagens da bicicleta como meio de transporte lúdico ou utiliário.

Ir & vir de bicicleta

Mãe & filha Começar e terminar uma deslocação em estrada, posicionamento na via, ultrapassagens, passar ruas laterais, virar de uma rua principal para uma secundária e vice-versa, estratégias de condução segura, regras básicas do CE (nomeadamente interpretação de sinais e marcas rodoviárias).

Atenção que a frequência prévia numa Clínica de Bicicleta é um pré-requisito para este curso (o domínio do veículo antes do domínio da estrada!).

Próximas datas:

  • Clínica de Bicicleta, 24 Setembro 9h-12h, 24 €
  • Ir & Vir de Bicicleta, 22 e 29 de Outubro, 9h30-11h30, 39 €

Formação de ciclistas, nas escolas, nos Países Baixos

Há pessoas que justificam a necessidade ou a “bondade” das ciclovias por pensarem que estas permitem que pessoas sem formação em condução e segurança rodoviária (tanto adultos como crianças e jovens) possam assim deslocar-se de bicicleta em segurança. Contudo, este raciocínio é errado. John Forester simplificou e unificou o ciclismo veicular em 5 princípios básicos de como o trânsito funciona e de como o ciclista age em cada situação. Os 5 princípios são:

  1. Conduz do lado direito da faixa de rodagem, não do lado esquerdo e nunca no passeio.
  2. Cede passagem ao tráfego de atravessamento em ruas superiores.
  3. Cede passagem ao tráfego que te ultrapassa antes de mudar de via de trânsito.
  4. Posiciona-te de acordo com o teu destino ao aproximares-te de uma intersecção.
  5. Posiciona-te de acordo com a tua velocidade relativamente ao restante tráfego entre intersecções.

Como ele diz, se um ciclista obedecer a estes 5 princípios, poderá circular de bicicleta em muitos sítios com uma reduzida probabilidade de causar conflitos de trânsito. Não fará tudo da melhor forma possível, e ainda não saberá como se safar de sarilhos que outros condutores possam causar, mas sair-se-á melhor que a média dos ciclistas.

Ora, que princípio destes 5 é possível não conhecer e respeitar e ainda assim conduzir em segurança, se circularmos por ciclovias?…

As ciclovias exigem MAIS conhecimento e competência para serem seguras, tanto de ciclistas como de quem se cruza com eles, especialmente num país com o nosso quadro legal.

O facto de nos Países Baixos (nomeadamente na Holanda), cujo nível de qualidade das ciclovias é infinitamente superior ao nosso, que tem regras de trânsito mais vantajosas para os ciclistas, e que tem uma imensamente maior cultura de utilização da bicicleta, ter programas de formação de condução e segurança rodoviária em bicicleta implementados nas escolas (de modo a chegar a toda a população), quer dizer alguma coisa.

Se lá isto é importante, que dizer de cá?

Não vou comentar, pelo menos desta vez, a metodologia de formação aplicada, que transparece neste vídeo. Pretendo apenas chamar a atenção para o facto de haver formação universal gratuita e garantida pelo Estado.

Cá pretende-se começar pelo telhado (ciclovias, ainda por cima más, muitas vezes), deixando as paredes (legislação e formação) para “um dia”.

Precisamos de mais pessoas formadas nestas questões e de mais indivíduos e empresas a trabalhar nesta área (a Cenas a Pedal não daria vazão a todo o país :-P), precisamos de discutir longamente e desenvolver abertamente com os vários stakeholders um Padrão Nacional de Formação para procurar garantir o máximo de qualidade, e precisamos que o Estado apoie este tipo de programas para adultos e, principalmente, que os implemente nas escolas, porque “de pequenino é que se torce o pepino” (e porque fazer isto nas escolas é mais eficiente do ponto de vista dos custos e porque garante que toda a população tem acesso a isto e não simplesmente só os que podem pagar e/ou os que estão interessados à partida – tal como a Matemática, a Ed. Física, etc).

O Estado português precisa de “put its money where its mouth is“, como dizem os americanos, e passar da conversa mole sobre sustentabilidade e bicicletas e peões e transportes públicos e green e nova mobilidade e obesidade infantil e blá blá blá,… à acção (com resultados!).

Tenho dito.