Estique a sua bicicleta e mude a sua vida!

Quer saber como:

  • tornar as viagens de ida e volta do trabalho um dos pontos mais altos do seu dia?
  • gastar menos dinheiro com o carro ou com o passe?
  • encontrar tempo no seu quotidiano para uma actividade física ligeira gratuita?
  • estar mais disponível e próximo dos seus filhos?
  • ir para a praia este Verão sem perder tempo preso no trânsito?

Transforme a sua bicicleta num veículo utilitário prático e divertido. 🙂 Estique-a!

O que é uma bicicleta longtail?

Saiba mais aqui e aqui. Basicamente, é uma bicicleta com uma traseira alongada graças a uma maior distância entre eixos – ‘longtail‘ significa ‘cauda longa’; as rodas estão afastadas mais 38 cm (aproximadamente) do que numa bicicleta normal. Do ponto de vista do aspecto exterior, as longtails serão as station wagons das bicicletas, ou SUB’s (Sports Utility Bicycle) em vez de SUV’s (Sports Utility Vehicle). Exemplos: Surly Big Dummy, Yuba Mundo.

Montagem InstigatorX do R.

Para que serve uma longtail?

Saiba mais aqui. Para aumentar muito significativamente a capacidade de carga de uma bicicleta, sem perder o aspecto e as características de condução de uma bicicleta tradicional (e ficando ainda mais estável!).

Mom hauled all this home.

Porquê uma longtail e não um cesto, um atrelado ou uma longjohn? Veja aqui a comparação.

O que é uma Xtracycle?

Uma  Xtracycle é uma bicicleta (normal, pode ser a que já tem) com a cauda alongada, uma longtail, que usa o sistema modular de acessórios da Xtracycle. O alongamento da cauda é conseguido com o Freeradical, um chassis que prolonga o quadro original da sua bicicleta. Mas já há bicicletas com o quadro alongado de origem, como a Surly Big Dummy, que por isso dispensam o Freeradical, mas que usam todos os outros acessórios Xtracycle.

Fica assim com uma “smartbike” (como se fosse um smartphone) com diversos acessórios que funcionam modularmente (as apps). 🙂

Estão disponíveis na Europa 2 kits:

Freeradical Classic Kit, com dois sacos Freeoaders e um destes decks à escolha: Snapdeck ou Flightdeck (escolha a versão que prefere ou de que precisa para o uso que pretende dar à bicicleta), PVP 559 €.

Com este kit, na versão com Flighdeck, é possível instalar na traseira 1 ou 2 cadeiras de transporte de crianças, consoante a idade das mesmas.

in the background, diesel-powered.  In the foreground, dim sum-powered!

FreeRadical - DoubleStoker

xtracycle electra townie yepp mini and maxi

E, claro, mesmo para quem não tem miúdos para transportar, a capacidade de carga quadruplicada face a uma bicicleta normal é muito útil, seja para ir ao supermercado ou dar a volta ao mundo!

grocery run

Gordon

my big dummy taking a rest

Grand Opening Bike Corrals on Main Street

Flat-ass Kansass

Freeradical Eco Kit, com conjunto de sacos e deck Hoodie, PVP 379 €.

O Eco Kit oferece uma opção integrada deck & sacos muito versátil e económica.

O distribuidor europeu da Xtracycle está agora a receber um contentor e quando este esgotar não se sabe quando voltará a haver mais (decorrerão sempre vários meses até chegar um novo carregamento). Por isso temos estado a aceitar pré-encomendas para este, e a oferecer um pequeno desconto promocional de 20 € no Classic Kit e de 10 € no Eco Kit. Se quiserem aproveitar e assegurar o vosso kit, façam a vossa encomenda até ao próximo dia 25 de Julho!

Carrie Takes a Break

Vão ver que será a melhor decisão que já tomaram, andar de Xtracycle é o máximo! 😀

Três histórias da estrada

O pendular / activista, a família, o estudante.

E a bicicleta mais fixe, mais cool, mais linda de SEMPRE, uma Xtracycle Surly Big Dummy customizada, toda em rosa! 😀

Querem cena mais linda que esta? Uma mãe, numa longtail rosa, a transportar os dois filhos pequenos, nas voltas de todos os dias. Priceless.

É a minha ambição natural depois disto:

New matching pink Selle An-Atomica saddle

😛 A razão que a Madi deu foi “quem roubaria uma bicicleta cor-de-rosa?”, o que é um bom ponto, mas rosa, sim, porque 1) é divertido e 2) ajuda a lembrar que as bicicletas também são um domínio feminino natural! 😉

Até o apoio de descanso, um fan-tás-ti-co Rolling Jackass, é cor-de-rosa:

Just a MinUte!

A longtail Ute tem agora uma irmã mais nova, e mais pequena, a MinUte. Está para chegar uma cá ao estaminé muito brevemente, para BionXificar! 🙂

Com um PVP de 819 € a MinUte traz incluído: porta-bagagem, deck em madeira de Acácia, pára-lamas, travões de disco mecânicos, campainha, apoio de descanso central duplo, e 2 sacos Kona Ute. O quadro, em alumínio, e disponível em dois tamanhos (18″ e 20″) e em duas cores (azul, e preto mate) vem com uma garantia vitalícia. A bicicleta pesa cerca de 15.5 Kg e tem capacidade para suportar 136 Kg de carga incluindo o condutor. Traz 8 mudanças externas. De essencial ficam-lhe só a faltar as indispensáveis luzes e um bom cadeado.

A MinUte é algo intermédio entre uma bicicleta normal e uma bicicleta de cauda longa. É um pouco mais longa, como as bicicletas eléctricas com motor central, por exemplo. Assim, será um pouco mais estável e terá um pouco mais de capacidade de transporte de carga do que uma bicicleta convencional, mas continuará a ser fácil de arrumar em casa ou de fazer caber no Metro, por exemplo. Conjugar alforges com uma cadeirinhas, por exemplo, é mais fácil e não requer recorrer a acessórios adicionais para alongar o porta-bagagem:

A cadeira que aparece no vídeo é a PeaPod LT, desenvolvida pela Xtracycle.

Mas mesmo sem cadeira, adicionando um guiador de apoio e uns apoios para os pés, já dá para dar boleia aos mais pequenos:

Foto: Hum of the City

A MinUte é assim uma opção utilitária interessante para indivíduos e famílias pequenas, principalmente quando os elevadores e/ou as casas ou acessos são pequenos, ou a intermodalidade é importante e uma bicicleta mais longa complicaria o seu transporte no comboio ou no Metro, por exemplo. E isto por menos de 1.000 €!

As Ute estão de momento esgotadas e ainda sem previsão de reposição de stock, mas ainda há algumas MinUtes prontas para entrega! Se estão interessados, não percam tempo e encomendem logo antes que esgotem! 😉

Andar de bicicleta é como voar

Finalmente acabei de ler o “The cyclist’s manifesto: the case for riding on two wheels instead of four“, do Robert Hurst. Muitas coisas interessantes, mas deixo aqui uns trechos do final.

A opção pela bicicleta em detrimento do automóvel nas nossas deslocações, naquelas em que seja mais viável, é escolher viajar num modo que acrescenta vida em vez de a tirar. Como dizia o lema da Xtracycle, “it’s not about going faster, is about going better“, a questão não é ir mais depressa, é ir melhor.

O autor lembra que os humanos precisam de exercício da mesma forma que precisam de sono, comida, e aventura. E aqui não se trata de desportos radicais, nem de explorações na floresta amazónica. É o sentirmo-nos vivos, é estarmos abertos ao imprevisto, abertos ao mundo, é sentirmo-nos livres. E aqui a bicicleta é a solução perfeita para integrar exercício e aventura num dia-a-dia urbano pacato.

Essa aventura está também intimamente ligada à sensação oferecida pela condução da bicicleta. Andar de bicicleta é um pouco como voar.

Ilene Black

Mergulhar numa curva numa bicicleta oferece uma deliciosa sensação de flutuação. O corpo move-se pelo ar, suspenso acima do chão numa estrutura mínima de aço e rodas. A flutuar no ar, ou pelo menos em pneus cheios de ar. A máquina em si, se for uma bicicleta leve, constitui uma pequena parte do peso total do sistema bicicleta-condutor. O veículo é composto essencialmente pelo condutor, que se inclina numa curva como o faria um pássaro. Esta sensação é exclusiva da bicicleta. Não está ao alcance dos condutores de veículos de 4 rodas; eles gozam outro tipo de prazeres, claro, mas não este. Não está sequer ao alcance dos motociclistas. Devido à comparavelmente imensa massa da máquina e o baixo centro de gravidade, uma mota numa curva oferece uma sensação muito menos dinâmica e vívida que uma bicicleta.

A bicicleta salpica o nosso quotidiano de aventura acessível, razoavelmente segura, barata, e enriquecedora. O nível de aventura é controlado por nós, o esforço, o risco, a velocidade. Pode ser cheio de adrenalina ou pode ser a coisa mais pacífica do mundo.

O pico do automóvel está aí.
As pessoas andam literalmente fartas de andar de carro, de passar pela vida sentadas e imóveis, fechadas dentro de uma carapaça cada vez mais desligadas do mundo exterior, a vê-lo por detrás de um pára-brisas, enquanto sentem corpo e espírito a atrofiar, a adoecer. A bicicleta está aí para ser redescoberta como a maneira mais simples, prazenteira, eficaz, económica e “verde” de revolucionar a vida de cada um, de a tornar, efectivamente, melhor.